Cigarro irá matar 1 bilhão de pessoas neste século, alerta OMS

Organização apelou também para que governos proíbam propaganda e promoção de empresas de tabaco

Jamil Chade, especial para O Estado,

30 de maio de 2008 | 17h26

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que o cigarro irá matar 1 bilhão de pessoas neste século e apela para que os governos proíbam toda a propaganda, publicidade e promoção de empresas de tabaco. A agência de saúde da ONU ainda pede que o cigarro nas novelas brasileiras também seja abolido.   Veja também: Ministério lança novas imagens para embalagens de cigarro Souza Cruz critica novas imagens de advertência contra o fumo   Para marcar o dia internacional contra o cigarro, que é celebrado nesta sexta-feira, 30, a OMS lança uma campanha mundial para alertar aos jovens sobre as "armadilhas" das empresas do setor. O material publicitário foi produzido no Brasil e será veiculado em 200 países.   A idéia da OMS é a de convencer os diversos governos a adotarem medidas duras. Segundo os estudos da entidade, países que adotaram uma restrição total à publicidade de cigarros conseguiram reduzir em 16% o consumo. O grau do vício estaria ligado à exposição à publicidade do produto.   Outra constatação é de que a indústria sabe do potencial do marketing. Entre 1995 e 1999, as empresas americanas promoveram ou patrocinaram 2,7 mil eventos, com gastos de US$ 350 milhões.   Uma das principais preocupações é quanto aos comerciais e promoções dirigidos aos jovens. Segundo a brasileira Vera da Costa e Silva, consultora da OMS para o tema do controle do cigarro, 56% das crianças em escolas afirmam terem visto publicidades de cigarros em seu cotidiano. 20% delas ainda tem algum produto com o logotipo de marcas de cigarro.   O problema, segundo Vera da Costa e Silva, é que apenas 20 países tem leis banindo a publicidade. "95% da humanidade está exposta às promoções das empresas de cigarro", afirmou.   No Brasil, ela alerta que o principal problema é a publicidade nos pontos de venda de cigarro. "Isso precisa acabar", afirmou a consultora. Segundo ela, as empresas vem fazendo acordos com os vendedores para garantir promoções.   "Outro problema sério é a aparição de pessoas fumando nas novelas. Isso precisa acabar e a Anvisa precisa atuar nesse aspecto", alertou.   O objetivo da OMS é o de tentar impedir que os 1,8 bilhão de jovens no mundo estejam expostos às publicidades. "Precisamos adotar medidas drásticas, inclusive evitando a publicidade na Internet", afirmou Vera da Costa e Silva. "As empresas do setor sabem que, quanto mais jovem o público alvo, maior a possibilidade de atrair um novo consumidor", disse.   Para a OMS, as "empresas usam todos seus tentáculos e estratégias para viciar os jovens". Para isso, tentam relacionar o tabaco com "glamour, energia e apelo sexual". "Para sobreviver, a indústria do tabaco precisa substituir aqueles que deixam de fumar ou morrem por novos e jovens consumidores", afirmou a diretora da OMS, Margaret Chan. "Banis a publicidade é uma forma poderosa para proteger a juventude mundial", disse.   Segundo a OMS, o alvo principal das empresas está sendo a juventude dos países emergentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.