Cigarro mais caro pode gerar recursos para saúde

Aumento no preço das bebidas também pode contribuir para ampliação de verba, diz Temporão

Paula Puliti, do estadao.com.br

25 de abril de 2008 | 16h26

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, defendeu a elevação dos preços de cigarros e bebidas alcoólicas como forma de gerar recursos para a Emenda 29, que trata da ampliação de verbas para a saúde. Segundo o ministro, o aumento dos preços desses produtos "prejudiciais à saúde" geraria mais impostos e permitiria o incremento dos recursos para a área.  A medida está dentro de uma orientação do Planalto de que nenhuma proposta pode ser feita sem que se indique de onde viriam os recursos. Temporão afirmou que a Receita Federal tem argumentado que o aumento dos preços dos cigarros levaria a um aumento do contrabando. O ministro rebate, afirmando que contrabando é um problema de polícia, e não da Receita ou da Saúde. Na semana que vem, Temporão se reúne com o presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia, para definir de onde virão os recursos para a Emenda 29. Chinaglia, segundo o ministro, é favorável a votação na Casa independentemente da orientação do Planalto. A Emenda 29 é de autoria do senador Tião Viana (PT-AC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.