Tomasz Sienicki/Divulgação
Tomasz Sienicki/Divulgação

Cigarro provoca danos genéticos poucos minutos após primeira inalação

Estudo relatou pela primeira vez maneira como substâncias do tabaco causam danos no DNA ligados ao surgimento do câncer

estadão.com.br,

17 Janeiro 2011 | 10h28

SÃO PAULO - Em um alerta para aqueles tentados a começar a fumar, uma pesquisa publicada na revista American Chemical Society alerta que a fumaça do cigarro começa a provocar danos genéticos poucos minutos, não anos, após a primeira inalação. Este foi o primeiro estudo humano a detalhar a maneira como certas substâncias no tabaco causam danos no DNA ligados ao surgimento do câncer.

 

Os pesquisadores destacam que o câncer de pulmão mata pelo menos três mil pessoal todos os dias, grande parte como resultado do tabagismo. Além disso, o fumo também está ligado a pelo menos outros 18 tipos de câncer. No entanto, até o momento os cientistas não puderam determinar exatamente como as substâncias prejudiciais presentes no tabaco, conhecidas como hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAH), causam danos ao DNA em humanos.

 

Os cientistas acrescentaram um PAH marcado aos cigarros, o fenantreno, e acompanharam seu destino em 12 voluntários. Eles descobriram que o fenantreno rapidamente forma uma substância tóxica no sangue, causando mutações. Os fumantes desenvolvem níveis máximos dessa substância em um período de tempo que surpreendeu os pesquisadores: de 15 a 30 minutos depois que os voluntários terminaram de fumar. Os pesquisadores disseram que o efeito é tão rápido que é equivalente a injetar a substância na corrente sanguínea.

Mais conteúdo sobre:
cigarro tabagismo saúde câncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.