Divulgação
Divulgação

Cinco macacos morrem com suspeita de febre amarela em Rio Preto

Animais viviam em área de mata ao lado dos bairros Cristo Rei e Caic; vacinação foi intensificada

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

19 Janeiro 2017 | 16h23

SOROCABA - Cinco macacos foram encontrados mortos, entre terça e quinta-feira, 19, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo. A suspeita é de que os animais tenham sido vitimados pela febre amarela. Dois macacos foram recolhidos pela Secretaria da Saúde do município e as amostras serão analisadas para eventual confirmação da doença. Os outros três foram enterrados pela moradora que os encontrou, impossibilitando a realização de exames.

690394Todos os animais viviam em área de mata ao lado dos bairros Cristo Rei e Caic. Os macacos adquiriram a febre silvestre da doença, mas o risco é de contaminação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, que vive nas áreas urbanas e também pode passar a febre amarela para o homem. Agentes sanitários estão visitando as residências que ficam no entorno para vacinar e orientar os moradores.

Em setembro do ano passado, quatro macacos morreram em áreas rurais do município e os exames confirmaram a doença. Em abril, um homem morreu após contrair febre amarela em Bady Bassit, cidade vizinha. Em outras onze cidades foram registradas mortes de primatas pela doença. Em todas, a campanha de vacinação contra a febre amarela foi intensificada.

Mais conteúdo sobre:
São José São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.