Cinco morrem na Suíça após serem vacinadas contra gripe A

Todos as vítimas eram maiores de 60 anos e em quatro dos casos sofriam de doenças crônicas graves

Efe,

08 Dezembro 2009 | 13h19

Cinco das sete vítimas fatais em decorrência da gripe A registradas na Suíça morreram depois de terem sido vacinadas, segundo os dados divulgados nesta terça-feira, 8, pela Swissmedic, o organismo suíço regulador de remédios.

 

Veja também:

linkEspanha registra morte por variação do vírus da gripe A

linkAumenta número de casos de gripe A resistentes a Tamiflu

linkBrasil vai vacinar idosos, grávidas e crianças 

 

Em quatro dos casos, a vacina utilizada foi a Pandemrix, fabricada pela empresa farmacêutica GlaxoSmithKline. No entanto, não foi divulgada a marca da administrada no quinto caso.

 

Todos os pacientes eram maiores de 60 anos (um deles maior que 80) e em quatro dos casos sofriam de doenças crônicas graves. Por isso, "pode ser excluída a relação com a vacina", informou a Swissmedic. O último caso, referente ao paciente de 80 anos, ainda está sendo analisando.

 

Também foi registrada a morte de dois fetos no útero após suas mães terem sido vacinadas com Focetria, fabricada pela empresa Novartis. Em um dos casos, a morte fetal é atribuída a "fatores de risco já existentes", enquanto o segundo caso segue sob análise.

 

No total, desde o início da vacinação, no final de novembro, foram detectados 197 casos de efeitos secundários da vacina, mas não se sabe o número de pessoas que foram imunizadas. Do total, 169 casos receberam Pandemrix, 25, Focetria e 3, Celtura, outra vacina fabricada pela Novartis.

 

O porta-voz da Swissmedic, Joachim Gross, explicou que estes dados não indicam que a Pandemrix seja a vacina que fornece mais riscos, mas é a mais utilizada.

 

Entre os efeitos secundários, em 44 dos casos foi registrada "uma reação grave e conhecida", ou seja, um efeito que estava previsto no prospecto do remédio, na maior parte reações alérgicas. Em outros 28 casos houve "efeitos secundários com reação grave e desconhecida", entre elas cinco perdas de consciência após a vacinação e um caso de convulsões. A metade dos casos, segundo a Swissmedic, "não é atribuível à vacina".

Mais conteúdo sobre:
mortes Suiça gripe A vacina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.