Cirurgia contra enxaqueca oferece bons resultados, diz estudo

Cinco anos após a operação, quase 90% dos pacientes tiveram as dores de cabeça amenizadas

estadão.com.br,

04 Fevereiro 2011 | 17h26

SÃO PAULO - Uma cirurgia realizada para "desativar" enxaquecas vem obtendo resultados satisfatórios nos Estados Unidos. Cinco anos depois da operação, quase 90% dos pacientes tiveram as dores de cabeça amenizadas. O estudo foi publicado na edição de fevereiro do Plastic and Reconstructive Sugery, o jornal oficial da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS, em inglês). Em cerca de 30% dos operados, as enxaquecas foram completamente eliminadas.

 

Antes da cirurgia, cada paciente foi testado com a toxina botulínica tipo A (Botox) para confirmar os locais corretos das dores. Os resultados, que incluem as medidas padrão da dor da enxaqueca, incapacidade e qualidade de vida, foram avaliados em 69 pacientes.

 

As crises de enxaqueca se tornaram bem menos frequentes após a cirurgia. A média diminuiu de 11 para quatro por mês. Quando ocorreram, as crises tiveram menor tempo de duração, com uma queda de 34 para oito horas, em média.

 

As novas técnicas cirúrgicas têm potencial para reduzir ou eliminar as crises de enxaqueca para muitos pacientes que não respondem a outros tratamentos. Um estudo anterior descobriu bons resultados em um ano de seguimento. O novo relatório, por sua vez, mostra que estes bons resultados são mantidos através de cinco anos de seguimento.

 

Mesmo assim, mais pesquisas serão necessárias para aperfeiçoar as técnicas cirúrgicas, bem como para esclarecer as razões da eficácia da desativação pontos críticos que causam as enxaquecas.

Mais conteúdo sobre:
enxaqueca cirurgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.