Dean Saffron/Efe
Dean Saffron/Efe

Cirurgiões australianos iniciam separação de gêmeas siamesas

Operação deve durar 16 horas; médicos estimam chances de 25% de sucesso no procedimento cirúrgico

AP,

16 de novembro de 2009 | 12h01

Neurocirurgiões australianos deram início nesta segunda-feira, 16, a uma delicada operação de separação de gêmeas siamesas que estão unidas pela parte superior dos crânios. As crianças Trishna e Krishna, de Bangladesh, têm dois anos e dividem partes do crânio, de tecido cerebral e da circulação de sangue no local.

 

O cirurgião plástico Tony Holmes disse um pouco antes do início da operação que as chances de sucesso na separação são de 25%. Existe um risco de 50% de as crianças sofrerem danos cerebrais e 25% de risco de morte durante o procedimento médico. A equipe médica australiana estima que a operação tenha uma duração de 16 horas.

 

As gêmeas siamesas são órfãs e foram levadas para a Austrália pela Children First Foundation em 2007. Desde então, elas já sofreram algumas cirurgias como preparação para o procedimento de separação pela qual estão sendo submetidas.

Tudo o que sabemos sobre:
cirurgiagêmeas siamesasAustrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.