Cisne é segundo caso de suspeita de gripe aviária na Suíça

Um segundo caso de gripe aviária foi registrado ontem na Suíça. Um cisne foi encontrado morto no Lago Constance, e os primeiros testes já indicam a presença do vírus H5. O animal foi enviado para o laboratório veterinário britânico em Surrey, que verificará se o cisne está contaminado pela forma mais severa do vírus, o H5N1. No primeiro caso suíço, em Genebra, o governo levou cinco dias para tornar a informação pública. Criticado, agora já avisa que novos casos da gripe entre aves devem aparecer nos próximos dias. A incidência do H5N1 foi confirmada pelo laboratório de Surrey naquele primeiro caso - um pato selvagem encontrado morto na borda do Lago Léman. A região de Genebra faz fronteira com o departamento francês de Ain, no centro-leste do país, onde o H5N1 infectou uma granja industrial de perus no fim da semana passada. Dominique de Villepin, o primeiro-ministro da França, pediu aos donos de gatos de estimação que residem em áreas onde a gripe aviária foi confirmada que os mantenham dentro de casa. A deliberação segue ordem semelhante baixada pelo governo alemão. Na terça-feira, foi confirmado o primeiro caso de gripe aviária em um gato, encontrado morto na ilha de Ruegen. A Grécia informou ter a confirmação do laboratório de Weybridge, na Inglaterra, da ocorrência de três novos casos de infecção pelo H5N1. A Hungria confirmou novos casos de gripe aviária em quatro locais. A Organização Mundial da Saúde anunciou que a gripe aviária foi a causa da morte de um iraquiano de 39 anos falecido em janeiro. Assim a contagem global sobe para 174 casos, sendo 94 fatais.

Agencia Estado,

02 de março de 2006 | 12h27

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.