Clérigo saudita veta peregrinação de pessoas com H1N1

Meca, que abriga o ponto mais sagrado do Islã, tradicionalmente atrai mais de um milhão de peregrinos

REUTERS

19 Agosto 2009 | 12h14

Alunos voltam às aulas com 'beijos e abraços' e tranquilidadeO principal clérigo da Arábia Saudita afirmou que os muçulmanos que souberem que estão infectados com o vírus H1N1 ou com outros agentes contagiosos não podem participar de peregrinações ou mesmo ir a mesquitas.  

 

 Gripe suína faz Irã proibir peregrinações a Meca no Ramadã

Religiões adaptam tradições em razão da gripe suína

"Quem tiver consciência da natureza contagiosa de sua doença... não pode ir a locais de reunião, para que não cause danos a outros", disse o xeique Abdul-Aziz Al-Shaikh em comentários publicados em fóruns islâmicos na Internet, incluindo o Sahab (wwww.sahab.net).

Não estava claro o local onde os comentários foram feitos.

Meca, que abriga o ponto mais sagrado do Islã, tradicionalmente atrai mais de um milhão de peregrinos no último terço do mês do Ramadã, que neste ano começa em 21 de agosto. A principal temporada de peregrinação, no entanto, ocorre no final de novembro neste ano.

Cerca de 3 milhões de peregrinos de mais de 160 países se reúnem em Meca durante o haj na maioria dos anos. A maioria vem por avião, da cidade de Jeddah, no Mar Vermelho.

(Reportagem de Souhail Karam)

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.