CNPq inaugura prédio e sedia última reunião do CCT em 2010

'Edifício inteligente' em Brasília reúne instalações modernas e sistema de informática reformulado

estadão.com.br

24 Dezembro 2010 | 15h10

SÃO PAULO - Depois de mais de 30 anos trabalhando em três prédios dispersos, os servidores do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) finalmente desenvolverão suas atividades em um único espaço físico em Brasília.

O novo prédio, a ser inaugurado na próxima segunda-feira, 27, às 11 horas, é o que se pode chamar de "edifício inteligente", com instalações modernas, sistema de informática reformulado, salas de reuniões e de videoconferências, auditório, restaurante e lanchonete.

A nova sede do CNPq vai, como sua primeira atividade, abrigar a última reunião do ano do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT). Está prevista a participação do presidente Lula e do ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende. Na pauta da reunião, inclui-se a apresentação do relatório sobre os principais resultados e avanços do Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional - PACTI 2007-2010.

O CNPq é composto por 13 representantes do governo federal, 8 de produtores e usuários e 6 de entidades de caráter nacional representativas dos setores de ensino, pesquisa, ciência e tecnologia. O presidente da República preside o conselho e o ministro de C&T é o secretário.

A missão do CNPq é propor a política de Ciência e Tecnologia do País, como fonte e parte integrante da política nacional de desenvolvimento, além dos planos, metas e prioridades de governo referentes à Ciência e Tecnologia, com as especificações de instrumentos e de recursos; efetuar avaliações relativas à execução da política nacional de C&T; e opinar sobre propostas ou programas que possam causar impactos à política nacional de desenvolvimento científico e tecnológico, e também sobre atos normativos de qualquer natureza que busquem regulamentá-la.

O novo endereço do conselho é SHIS QI 1, lote B, Lago Sul, Brasília (DF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.