Cola de fibrina substitui pontos?

Os pontos estão praticamente substituídos pelas colas. Mais do que afirmar que a cola vem sendo cada vez mais empregada nos últimos anos, vale alertar sobre o uso de substâncias manipuladas, como a cola de fibrina, que é produzida com o sangue do próprio paciente através de centrifugação e mistura com substâncias químicas. Não há qualquer benefício cientificamente comprovado e, ainda, há o risco de contaminação no momento de manipular a substância. O ideal são os adesivos derivados do cianoacrilato. Dessa "família" é que são derivados o etilcianoacrilato (Dermabond®) e o metil-cianoacrilato (Superbonder®). O primeiro é empregado correntemente por nós em todas as modalidades cirúrgicas. Entre os principais benefícios vigoram a redução do tempo cirúrgico (colar é muito mais rápido do que dar pontos); impermeabilização da ferida operatória, possibilitando que o paciente tome banho no dia seguinte à cirurgia, e o fato de poupar o paciente do incômodo doloroso na hora da retirada dos pontos. O que acelera a recuperação pós-cirúrgica dos pacientes é garantir melhor preparo pré-operatório, suspender o tabagismo trinta dias antes da cirurgia, usar anestesia local e sedação monitorizada durante o procedimento, empregar medicação que acelere a recuperação pós-cirúrgica do edema e indicar fisioterapia pós-operatória com drenagens linfáticas. (*) PhD em Cirurgia Plástica e Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.