Cólera faz Haiti retirar 2.000 pessoas de campo de refugiados

Esforço é parar evitar que a doença se dissemine entre os desabrigados

EFE, EFE

05 Novembro 2010 | 12h07

Mais de 2.000 pessoas foram removidas do campo de desabrigados de Corail e levadas para um hospital próximo para evitar que a epidemia de cólera do país se espalhe ainda mais, informa a Organização Internacional de Migração (OIM).

 

"Os desabrigados que continuam nos campos recebem água engarrafada, para evitar uma maior expansão da doença", acrescenta comunicado da OIM.

 

Uma das principais preocupações dos organismos humanitários internacionais é que a propagação da doença alcance os campos, onde vivem mais de 1,3 milhão de pessoas.

A diretora do programa especial de cólera da Organização Mundial da Saúde (OMS), Claire Chaignat, destacou que "todos os dispositivos estão funcionando para evitar o pior cenário, que seria uma propagação de cólera nos campos de desabrigados e na capital Porto Príncipe".

 

"Mas desconhecemos se houve algum caso nos campos", disse Jemini Pandya, porta-voz da OIM.

 

A propagação da doença no Haiti já causou 442 mortes e 6.742 hospitalizações, segundo o Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU.

Mais conteúdo sobre:
cólera haiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.