Google Street View
Google Street View

Com 15 recém-nascidos infectados pela covid, maternidade de Maceió proíbe visitas à unidade neonatal

Até pais das crianças estão impedidos de entrar na instituição de referência da capital alagoana

Carlos Nealdo, Especial para o Estadão

10 de março de 2021 | 21h20

MACEIÓ – A Maternidade Escola Santa Mônica decidiu suspender nesta terça-feira, 9, as visitas à unidade neonatal, após 15 recém-nascidos apresentarem infecção pela covid-19. A suspensão, prevista até o próximo dia 23, também será válida para os pais dos bebês. Além disso, a maternidade ainda isolou a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e suspendeu temporariamente a permanência das mães acompanhantes na maternidade. Elas passarão a receber boletins diários, sobre a situação das crianças.

Em nota, a instituição – referência em Alagoas em cuidados de recém-nascidos de alto risco – anunciou também que deverá ampliar de cinco para dez os leitos de UTI destinados aos recém-nascidos infectados pelo novo coronavírus. Atualmente, a instituição conta com 26 leitos de UTI neonatal cadastrados.

Segundo o Serviço de Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (SCIRAS) da maternidade, outros dois bebês que estavam isolados, apresentaram testagem negativa e já receberam alta da UTIN, sendo transferimos para a Unidade de Cuidados Intermediários Convencionais. A instituição informou ainda que segue recebendo pacientes externos normalmente. “Salientamos ainda que estamos tomando medidas internas para reforçar a proteção dos nossos pacientes”, diz a nota.

Atualmente, a maternidade dispões de 52 leitos, entre UTI neonatal e Unidade de Cuidados Intermediários. Por causa da alta rotatividade, a instituição não divulgou o número de pacientes atualmente internados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.