Governo de São Paulo
Governo de São Paulo

Com alta de casos de covid-19, Sergipe revoga decreto que permite reabertura parcial do comércio

Houve aumento de 32% no número de casos confirmados no Estado em menos de 24 horas

Antônio Carlos Garcia, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2020 | 18h44

ARACAJU - O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), revogou nesta quinta-feira, 30, os decretos que permitiam a abertura de uma parte do comércio, como lojas de joias, cosméticos e colchões. Houve aumento de 32% no número de casos confirmados de covid-19 no Estado em menos de 24 horas. Ao todo, 12 pessoas já morreram vítimas da doença.

Segundo o chefe do Executivo, “a revelação de aumento de casos por testagem, e não por flexibilização, pode impactar nessas atividades com o trânsito de pessoas em estabelecimentos restritos. De forma que, por precaução e prevenção, optamos por rever as medidas até melhorar o diagnóstico do quadro”.

Chagas lembrou que “o planejamento foi realizado de forma técnica, levando em consideração as atividades comerciais e riscos epidemiológicos, ao autorizar aquelas não propícias ao aumento de propagação”. Com isso, continuam fechadas imobiliárias, concessionárias de veículos, escritórios de arquitetura, lojas de tecidos e armarinhos. Além disso, setores que estavam previstos para abertura a partir deste sábado, 2, e de segunda-feira, 4, também não poderão voltar a funcionar, a exemplo das lojas de cosméticos e perfumaria, relojoarias e lojas de joias, além das lojas de móveis, colchões e eletrodomésticos. 

Conforme o último boletim da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgado na quarta-feira, 29, são 337 casos da doença confirmados em Sergipe, com 12 mortes. O Brasil encerra o mês de abril com um total de 5.901 óbitos e 85.380 pessoas contaminadas pelo novo coronavírus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.