WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Com alta de coronavírus, Pernambuco manda fechar praias no fim de semana

O decreto do governador determina, ainda, o fechamento de parques estaduais

Redação, O Estado de S. Paulo

04 de abril de 2020 | 18h48

RECIFE – Em meio à alta de 66% de casos confirmados do novo coronavírus nas últimas 48 horas, o governo de Pernambuco decidiu adotar medidas ainda mais restritivas no Estado. Com clubes, escolas e comércios já fechados há duas semanas, o governador Paulo Câmara (PSB) agora proibiu, por decreto, o acesso de banhistas a praias pelos próximos três dias.

A decisão foi publicada no Diário Oficial na sexta-feira, 3, e segue a mesma linha de enfrentamento ao covid-19 de outros locais, como a Baixada Santista, em São Paulo, e Salvador, na Bahia. O decreto determina, ainda, o fechamento de parques estaduais. Segundo o documento, o objetivo é evitar aglomeração de pessoas e assim dificultar a transmissão do vírus.

“Nos dias 4, 5 e 6 de abril de 2020 fica vedado o acesso à faixa de areia das praias e aos parques localizados no Estado de Pernambuco, para prática de qualquer atividade”, diz o documento. O prazo pode ser prorrogado, de acordo com o governo.

Até a última quinta-feira, 2, Pernambuco havia confirmado 106 casos de coronavírus e nove mortes. Em dois dias, os índices saltaram para 175 diagnósticos e 14 mortes. Nesse período, o Estado também aumentou o número de testes realizados, segundo gestão estadual.

“Nesta sexta-feira, registramos um aumento significativo do número de contaminações pela covid-19” afirmou Paulo Câmara, em nota. “A tendência é que esses números continuem crescendo. Só vamos conseguir reduzir essa escalada, com a conscientização de todos de que é preciso ficar em casa.” 

Na avaliação do governo, este fim de semana e os 14 dias subsequentes são considerados decisivos para o comportamento da epidemia em Pernambuco. A previsão é que o pico da doença aconteça na segunda quinzena deste mês.

Pernambuco é responsável por praias que figuram entre os destinos mais procurados do Brasil, como Porto de Galinhas, em Ipojuca, e Carneiros, em Tamandaré – municípios que ainda não têm casos confirmados da doença. No Recife, a praia de Boa Viagem também costuma reunir multidões em épocas de normalidade.

Frequentadores agora relatam, no entanto, que o cenário está bem diferente por causa do coronavírus. “Está vazio, vazio. Não vi 5% das pessoas que costumam frequentar a praia”, diz o engenheiro civil Amadeu Bomman, de 29 anos, que voltou de Carneiros neste sábado.

Segundo Bomman, o acesso às praias já era alvo de controle de fiscalização municipal na semana passada. Bares e restaurantes tradicionais estavam fechados. Em lojas de conveniência, vendedores repassavam produtos a clientes pela janela.

“Para entrar na cidade, tive de mostrar o documento com IPTU pago. É uma forma de só permitir a entrada de quem tem casa por lá”, afirma. “Concordo com a restrição. Se não tiver ação coletiva, a gente não vai combater a doença.”

Segundo o governo, há casos confirmados nas cidades do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe, Cabo de Santo Agostinho, São Lourenço da Mata, Goiana, Palmares, Belo Jardim, Caruaru, Petrolina, Ipubi e Alianças. Também há registro no arquipélago de Fernando de Noronha.

Outra medida do novo decreto é em relação a bancos e casas lotéricas. Para continuar funcionando, os locais devem fazer sinalizações das filas para que os clientes respeitem o limite de distância de um metro entre eles. 

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.