Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Célio Messias/ Estadão
Célio Messias/ Estadão

Araraquara e mais 59 cidades do interior de SP ampliam restrição de atividades por causa da covid

Municípios paulistas adotam medidas mais duras do que as previstas no Plano São Paulo, do governo do Estado. Objetivo é frear a disseminação do coronavírus e reduzir a pressão no sistema de saúde

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2021 | 10h00

SOROCABA - Com alta de casos de covid-19 e hospitais cheios, ao menos 60 cidades do interior de São Paulo - incluindo Araraquara, cujo lockdown em fevereiro foi considerado um exemplo de sucesso na contenção do coronavírus - adotaram medidas mais duras do que as previstas pela gestão João Doria (PSDB). O Estado está na fase de transição do Plano São Paulo (de combate à pandemia), com as atividades comerciais abertas das 6 horas às 21 horas. O Comitê de Contingência do Coronavírus, porém, recomendou aos municípios com mais de 90% de ocupação de leitos de UTI que adotem medidas mais rigorosas.

Em alguns dos principais polos regionais do interior, as prefeituras definiram ações conjuntas na tentativa de frear a disseminação do vírus e reduzir a pressão no sistema de saúde. Após Araraquara decretar novo lockdown até domingo, 27, cidades vizinhas também restringiram atividades. Nesta segunda-feira, 21, Santa Lúcia e Américo Brasiliense fecharam o comércio, permitindo apenas o drive-thru e delivery. Das 20h às 6h vigora o toque de recolher. “Como a gente depende dos hospitais de Araraquara, que estão lotados, a prefeitura decidiu seguir as mesmas medidas para ajudar também o controle (da pandemia) lá”, disse o diretor de comunicação de Américo Brasiliense, Vinícius Spolaor.

Somente moradores locais e pessoas que trabalham na cidade passam pelas barreiras sanitárias que voltaram a funcionar nas três principais entradas. As cidades de Nova Europa, Rincão, Gavião Peixoto, Boa Esperança do Sul e Motuca também reduziram as atividades econômicas e estudam restrições de circulação.  

Em Campinas, o toque de recolher ampliado entrou em vigor nesta segunda, com o encerramento das atividades econômicas às 19h. A medida vale para comércio de rua, shoppings, galerias, mercados, supermercados e padarias. No período noturno, até as 5h, vigora o toque de recolher.

Desde o início do mês, a ocupação de leitos para covid-19 se mantém acima de 92%. O último boletim apontava ocupação de 94,3% e 32 pacientes com covid-19 à espera de leitos de UTI. A cidade registrou mais 33 mortes pela doença nesta segunda, chegando a 3.587 óbitos.

As prefeituras de Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Itapira e Estiva Gerbi, que dependem da rede hospitalar de Campinas, também endureceram as regras, suspendendo o atendimento presencial no comércio e serviços das 19h às 5h.

A medida só não atinge farmácias, postos de combustíveis, serviços médicos e funerários e indústrias. Igrejas e templos religiosos não podem receber público. A venda de bebidas alcoólicas está proibida. As regras vigoram até 30 de junho, mas podem ser prorrogadas. Outras cidades devem definir medidas mais restritivas a partir desta terça, 22.

Ao menos 14 municípios vizinhos de Garça, na região de Marília, decidiram adotar medidas mais restritivas para reduzir a pressão sobre o sistema de saúde.

“A eficiência das tomadas de decisão no que diz respeito ao enfrentamento da pandemia está relacionada a medidas regionais. Somente diminuindo a circulação do vírus é possível evitar novas contaminações que irão sobrecarregar os hospitais e nossos profissionais de saúde”, disse o prefeito João Carlos dos Santos (DEM). Desta segunda até 5 de julho, as cidades mantêm toque de recolher das 19 horas às 5 horas O consumo de bebidas alcoólicas fica proibido em ruas e espaços públicos.

Na região norte do Estado, onde Franca, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Araraquara já restringiram as medidas mais do que o Plano São Paulo, a prefeitura de Votuporanga decretou toque de recolher a partir desta segunda. As atividades econômicas cessam às 19h e reabrem às 6h.

Apenas o delivery pode atender até as 23h, mas o drive-thru (retirada) não está autorizado, em razão do toque de recolher. As medidas valem até 4 de julho. Outras 16 cidades da região estão endurecendo as regras contra a pandemia.

A população de Barretos também convive, desde sábado, 19, com medidas mais duras para o enfrentamento da covid-19. Supermercados, mercearias, açougues, bares, lanchonetes e padarias só podem funcionar por meio de delivery. A venda de bebidas alcoólicas está proibida. Atividades religiosas presenciais também estão suspensas. As multas vão de R$ 500 a R$ 50 mil.

Outras cidades da região reforçaram o isolamento. A prefeitura de Colômbia decretou lockdown até o dia 27. A circulação de veículos e pessoas, salvo para emergências, está proibida entre 18h e 6h. Também foi adotada a 'lei seca", proibindo venda e consumo de bebidas em qualquer horário. Barreiras sanitárias instaladas nos acessos controlam a entrada e saída de pessoas. Os veículos são vistoriados para eventual apreensão de bebidas adquiridas em outras cidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.