Diego Vara/Reuters
Diego Vara/Reuters

Com ocupação de leitos em UTI em alta, ao menos 13 Estados ampliam restrições para frear a covid

Toque de recolher à noite e suspensão de aulas estão entre as medidas; Brasil bateu recorde de média móvel de mortes por três dias consecutivos

Mariana Hallal e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2021 | 18h12
Atualizado 02 de março de 2021 | 09h25

O crescimento da pandemia no Brasil mobilizou Estados para tentar frear o avanço acelerado da covid-19. Vários governos decretaram nos últimos dias restrições de circulação de pessoas, principalmente no horário noturno, fechamento de estabelecimentos comerciais e até lockdown. Entre os mais restritivos, estão Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Distrito Federal e Bahia, que vão fechar serviços essenciais por um período. 

Com UTIs lotadas, o foco é evitar a aglomeração de pessoas e com isso tentar diminuir a transmissão do vírus no País. Boletim do Observatório Covid-19, da Fiocruz, aponta 18 Estados brasileiros com ocupação de leitos de UTI de pelo menos 80%. Na segunda-feira, 1º, o Brasil teve a maior média móvel de mortes pelo terceiro dia consecutivo, em um cenário de vacinação lenta. Especialistas temem piora do quadro nas próximas semanas e defendem ações mais rígidas para conter o coronavírus

Veja a situação das novas restrições nos Estados

  • Acre - Nos fins de semana e feriados só será permitido o funcionamento de farmácias, hospitais, postos de gasolina e funerárias no Estado. Restaurantes, lanchonetes, supermercados e similares poderão funcionar exclusivamente com serviço de entrega. De segunda a sexta, a abertura de atividades deverá seguir a orientação da classificação de risco e há um toque de restrição vigente das 22h às 5h. As academias de ginástica, clubes esportivos, de lazer, e similares estão fechados até o dia 9. Bebidas alcoólicas só podem ser vendidas até as 20h. O Acre tem 91,5% das UTIs covid ocupadas.
  • Bahia - Com taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 em 83%, o Estado suspendeu as atividades não essenciais até quarta-feira, 3, e instituiu toque de recolher das 20h às 5h. É permitido somente o funcionamento dos serviços essenciais, ou seja, a venda de alimentos e as atividades relacionadas à aréa da saúde. Bares e restaurantes devem operar de portas fechadas, mas podem fazer entregas. A comercialização de bebidas alcoólicas voltou a ser permitida.
  • Ceará - O governo estadual divulgou novas medidas nesta sexta-feira, com toque de recolher entre 20h e 5h, horário que fica mais restrito nos fins de semana (entre 19h e 5h), "com saídas permitidas somente em situação de comprovada necessidade". 
  • Distrito Federal - O governo suspendeu uma série de serviços não essenciais até o dia 15 de março. Comércios de alimentos, produtos farmacêuticos, óticas, papelarias, escritórios e igrejas são algumas atividades permitidas. A lista completa está no site do governo. O DF acrescentou 66 leitos de UTI na rede pública de saúde desde a última sexta-feira, o que fez a taxa de ocupação cair de 98% para 85,3%. 
  • Goiás - Com a ocupação de UTI em 94,2%, várias cidades vem endurecendo as restrições, como Goiânia, que limitou o horário de funcionamento de bares e restaurantes até 22h. O governo do Estado já vinha pedindo para os municípios adotarem uma "Lei Seca", restringindo a venda de bebida alcoólica, para diminuir a contaminação do coronavírus. Cabe aos municípios a adoção de medidas de combate e controle da covid-19, com procedimentos padronizados
  • Paraíba - A ocupação de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) é de 69% e nesta semana o governo decretou toque de recolher entre 22h e 5h, até 10 de março. Além disso, houve a suspensão das aulas presenciais nas escolas públicas e bares, restaurantes e lanchonetes só poderão funcionar com mesas entre 6h e 16h. Depois desse horário, não poderá haver o consumo no local, só para retirada ou entrega.
  • Paraná - Governo anunciou a ampliação das restrições que incluem a suspensão do funcionamento dos serviços e atividades não essenciais e toque de recolher entre 20h e 5h, para evitar aglomerações e festas. Os serviços essenciais têm permissão para funcionar 24h por dia, para auxiliar na "redução de circulação de pessoas num mesmo ambiente por menor tempo". O decreto entrou em vigor neste sábado, 27, e vale até o dia 8 de março, "podendo ser prorrogado ou não, a depender do comportamento da pandemia no território paranaense durante o período", disse o governo. Procedimentos eletivos hospitalares com demanda de UTI no pós-operatório foram suspensos. No Estado, a taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 está em 82%
  • Pernambuco - Com taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 em 93%, o governo estadual anunciou novas medidas restritivas que vão valer deste sábado, 27, até 10 de março. O decreto proíbe qualquer atividade não essencial entre 20h e 5h (inicialmente, o período era das 22h às 5h) e aos fins de semana. Clubes sociais, praias e parques também fecham aos sábados e domingos. 
  • Piauí - Está com 80% de ocupação nos leitos de UTI, mas com o aumento de casos o governo decretou que o comércio só pode funcionar até as 17h e os shopping centers das 12h às 21h. Entre 23h e 5h, a circulação de pessoas nas vias públicas está proibida. Aos finais de semana, só atividades essenciais poderão funcionar. As medidas valem até 4 de março.
  • Rio Grande do Norte - A governadora Fátima Bezerra anunciou medidas de restrição. A taxa de ocupação de UTI no Estado está em 94,4%.
  • Rio Grande do Sul - Com o sistema de saúde no limite, o governo estadual decidiu colocar todos os municípios do Estado na bandeira preta, fase mais restritiva do plano local contra a covid-19, e cancelar cirurgias eletivas nos hospitais. A ocupação de leitos de UTI atingiu 97,4%.
  • Santa Catarina - O governo publicou um decreto colocando todo o Estado em lockdown nos próximos dois finais de semana. Com isso, somente serviços essenciais poderão funcionar entre 23h de sexta-feira até 6h de segunda. No momento, a taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 está em 95,3%.
  • São Paulo - O governo paulista insituiu o "toque de restrição", que prevê a limitação da circulação de pessoas entre 23h e 5h em todos os municípios do Estado 26, até o dia 14 de março. O número recorde de pessoas internadas e a taxa de 74,3% de ocupação em UTI para covid-19 motivaram a decisão.

Correção: Diferente do mostrado no gráfico ‘mortes por período’, o Brasil alcançou 250 mil óbitos por covid-19 no dia 24 de fevereiro e não em 24 de janeiro. O intervalo de 48 dias, portanto, está correto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.