DER
DER

Com pandemia, semestre tem queda de 10% em acidentes e mortes nas estradas

Na malha rodoviária federal, foram registrados 28.934 acidentes de janeiro a julho deste ano; no mesmo período de 2019, o número chegou a 32.163

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2020 | 16h34

SOROCABA – Acidentes e mortes nas estradas federais brasileiras caíram 10% no primeiro semestre de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019, segundo dados da Polícia Rodoviária Federal. Os números estão em queda desde março, quando começou a pandemia do coronavírus. Em rodovias do Estado de São Paulo, os acidentes com vítimas tiveram redução de 16% e o número de mortes caiu 11%, segundo o programa Infosiga SP, do governo paulista. Em média, houve redução de 8% no tráfego das rodovias brasileiras, devido às restrições da pandemia.

Na malha federal, foram registrados 28.934 acidentes de janeiro a julho deste ano, 10% menos que no ano anterior, quando aconteceram 32.163. O número de feridos caiu 14%, recuando de 37.866 para 32.734. Já as mortes também caíram 10%, de 2.527 para 2.280. Em janeiro e fevereiro, ainda sem as restrições, o número de óbitos estava no mesmo patamar de 2019, com 409 e 386 respectivamente. A partir de março, com a quarentena em vigor, os números apresentam queda em relação a 2019. A maior diferença aconteceu no mês de junho. De 458 mortes no ano passado, houve recuo para 355 este ano.

Pontualmente, alguns eixos rodoviários tiveram redução ainda maior em mortes, segundo a PRF. Na BR-163, importante rota de escoamento da produção agrícola do Mato Grosso, o total de acidentes com vítimas caiu 17% e o de mortes teve queda de 36% ao longo de 850 quilômetros dessa malha federal. No interior de São Paulo, a rota formada pela rodovia Raposo Tavares (SP-270) no oeste paulista apresentou redução de 12% no número total de acidentes, segundo a concessionária.

Série histórica

De acordo com dados do Infosiga SP, no trânsito paulista rodoviário e urbano o número de mortes caiu de 2.596 no primeiro semestre de 2019 para 2.321 no deste ano. É o menor número de mortes em um semestre desde o início da série histórica, em 2015. A queda maior – 31% – aconteceu em junho, de 501 para 346. A queda em acidentes com vítimas também foi expressiva, de 91.916 para 76.230 na comparação dos dois semestres. A redução maior foi em abril, auge da quarentena, com queda de 16.209 para 9.976 acidentes.

Em São Paulo, a queda em acidentes fatais foi maior em rodovias (-17%), na comparação com as vias municipais (-7%). As mortes no trânsito em ruas e avenidas representaram 51,5% do total de ocorrências no Estado. Considerando o período da quarentena, de 24 de março a 30 de junho, a redução de mortes no trânsito foi de 22% - 1.167 óbitos este ano contra 1.513 do ano passado. No mesmo período, os acidentes caíram 30%. O Infosiga SP cruzou os dados com o índice de isolamento social medido pelo governo estadual, verificando que os acidentes aumentaram ou reduziram praticamente na mesma proporção do isolamento.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.