HÉLVIO ROMERO / ESTADÃO
HÉLVIO ROMERO / ESTADÃO

Com posição diferente do ministro francês, OMS diz que ibuprofeno pode ser utilizado

CONTEÚDO ABERTO PARA NÃO-ASSINANTES: Análise dos dados disponíveis contrariou a conclusão de Olivier Veran e levou a OMS a permitir o uso do remédio em meio à pandemia de covid-19

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 11h25

Com base em novas pesquisas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que não há contraindicação para o uso do anti-inflamatório, antitérmico e analgésico ibuprofeno no tratamento de pacientes contaminados com o novo coronavírus

O uso do ibuprofeno havia sido desaconselhado pelo ministro da Saúde da França, Olivier Veran, e em um primeiro momento um porta-voz da OMS, Christian Lindmeier, reforçou o alerta, no início desta semana. 

Análise dos dados disponíveis, porém, contrariou a conclusão do ministro francês. A posição oficial da OMS, portanto, é de que a droga, assim como o paracetamol, pode ser usada contra a febre em meio à pandemia de covid-19. 

Especialistas ouvidos pelo Estado tinham explicado que evitar o ibuprofeno é uma medida preventiva. Celso Granato, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e diretor médico do Grupo Fleury, havia dito que a associação entre o uso do remédio e o agravamento da doença ainda é preliminar porque não foi descrita em muitos estudos.

Nancy Bellei, consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia, explicou que as evidências de que anti-inflamatórios não hormonais, como ibuprofeno, agravam casos de covid-19 ainda são frágeis.

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) também havia se manifestado sobre a relação entre a covid-19 e o ibuprofeno. A entidade aconselho que o uso do remédio seja evitado, justificando que ele aumenta os níveis de um receptor que facilita a entrada do vírus nas células. Em entrevista ao Estado, a diretora de Ciência, Tecnologia e Inovação da SBC, Ludhmila Abrahão Hajjar, havia dito que essa é uma medida preventiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.