Freepic
Freepic

Com que frequência devo trocar o meu travesseiro e colchão?

A lavagem depende muito do uso, mas alguns hábitos podem prolongar a vida dos produtos

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2022 | 05h00

No Pergunte ao Especialista desta semana, vamos falar sobre limpeza. Tem uma dúvida sobre saúde, bem-estar, exercício físico ou nutrição? Escreva para ana.lourenco@estadao.com ou para o Instagram @bemestarestadao

Com que frequência devo trocar o meu travesseiro e colchão? 

Renata Batista, São Paulo

Responde Ênio Zyman, dermatologista e alergista

Não há um tempo padrão, depende muito do uso e da manutenção que você faz. Um número que se propõe para travesseiro, por exemplo, são dois anos. Segundo uma experiência, abrindo um travesseiro e o examinando, durante esse período cerca de 30% do material é substituído por restos de ácaros. Agora, se a pessoa colocar uma capa antiácaros no travesseiro e usá-la regularmente, vai conseguir prolongar o uso. É mais importante não deixar o ácaro entrar do que não deixá-lo sair. 

A lavagem depende muito do uso. É normal transpirarmos à noite, algumas pessoas chegam a urinar, então há uma porção de fatores que fazem com que a lavagem tenha de ser feita imediatamente. O hábito de chegar em casa, após um dia de trabalho, e ir deitar direto, vai aumentar a frequência entre as lavagens.

Também interfere o local em que vivemos. São Paulo capital tem um clima, o litoral é mais úmido. 

Ácaro vai ser nossa principal preocupação, num primeiro momento, pois é causador de alergias, mas fungos podem surgir também, além da dermatite de contato. 

A gente espera que as pessoas que se preocupam com isso avaliem o local em que estão dormindo, tenham bom senso e fiquem atentas para perceber o odor e o aparecimento de manchinhas no travesseiro. Para o controle, é interessante também fazer a higienização e a aspiração com empresas especializadas.

Tudo o que sabemos sobre:
ácarofungo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.