Arquivo - Dida Sampaio/ Estadão
Arquivo - Dida Sampaio/ Estadão

Com saúde à beira do colapso, Manaus vai receber médicos de outras regiões do País

Estado do Amazonas é o quarto do País em número de contaminações, com 1.050 casos confirmados e 53 mortos

André Borges, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2020 | 19h31

BRASÍLIA - A cidade de Manaus vai ser a primeira do País a receber médicos e enfermeiros de outras regiões do Brasil para apoiar o atendimento aos casos de coronavírus. A capital do Amazonas está com seu sistema de saúde operando no limite. Hoje, o Estado é o quarto em número de contaminações, com 1.050 casos oficialmente conhecidos, além de 53 mortos.

Fora de Manaus, a disseminação do vírus avança em regiões do Estado marcadas pela presença de povos indígenas. Neste sábado, 11, dois indígenas tiveram a morte confirmada pela Funai, vítimas da covid-19.

"A situação hoje de Manaus é que a curva dos casos está muito próxima da capacidade de atendimento. Se não tomarmos nenhuma medida, o número de casos vai ultrapassar a nossa capacidade de atendimento. As pessoas vão sentir, não vai ter leito, não vai ter respirador e as pessoas poderão ficar desassistidas", afirmou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, ao comentar a situação da região.

Hoje, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta anunciou a construção de um hospital de campanha em Manaus para atendimento à população indígena. "Também vamos liberar recursos para que o hospital de referência em Manaus, que tem três andares não utilizados, receba imediatamente 350 novos leitos", disse Gabbardo. "Mandamos ontem (sexta-feira) 20 respiradores em UTI para Manaus. Vamos mandar mais 20."

Além da infraestrutura, Manaus será a primeira cidade do País que vai receber apoio médico de outras áreas. "Segunda-feira irão médicos de outras regiões do país. Vão ajudar no atendimento desses pacientes em Manaus. Vai ser o primeiro Estado que vai chamar as pessoas cadastradas no programa Brasil conta comigo, que cadastrou profissionais de todo o País. Temos 1 mil enfermeiros cadastrados em Manaus. Parte deles serão chamados pelo Ministério da Saúde. Há ainda 80 médicos, que serão convocados. Vamos tentar elevar nossa capacidade de atendimento."

Gabbardo anunciou ainda que Manaus receberá técnicos do Ministério da Saúde que vão apoiar a secretaria de Saúde local em questões de gestão. Além disso, os médicos que atuarão em UTIs na cidade terão o auxílio técnico de médicos de outras regiões especialistas nesse tipo de trabalho por meio do sistema de telemedicina. As ações de reforço do governo federal para Manaus serão iniciadas já na segunda-feira, disse o secretário executivo.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.