Combate à obesidade e sobrepeso vira lei em São Paulo

Uma lei paulista de combate à obesidade e ao sobrepeso, de autoria do deputado Simão Pedro (PT), foi sancionada pelo governador Geraldo Alckmin e publicada ontem no Diário Oficial. Estabelece, além de campanhas informativas sobre alimentação adequada, o disciplinamento da publicidade de produtos alimentícios infantis - que promete gerar polêmica. A Secretaria Estadual de Saúde, porém, só detalhará as ações em 90 dias, prazo para regulamentação da lei. Há 440 mil obesos mórbidos no Estado, 22% do total no Brasil. O Sudeste tem a maior porcentagem de obesos entre a população adulta - 10%, segundo o Ministério da Saúde. "Se não houver uma atitude semelhante à que temos contra a tabagismo, muitos continuarão morrendo de obesidade no Brasil", diz o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica, Luiz Vicente Berti. "A cirurgia de redução de estômago deve ser o último recurso." Em 2005, foram feitas 20 mil cirurgias no País, 233% mais que há dois anos. Para Berti, as campanhas devem focar a obesidade infantil. "É muito difícil modificar hábitos adquiridos na infância", diz. "Hoje, há mais e mais crianças obesas, diabéticas e hipertensas graças à alimentação ruim e falta de exercícios físicos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.