Começa vacinação no Amazonas após surto de sarampo da Venezuela

Cerca de 50 mil vacinas contra o sarampo estão disponíveis em postos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, no porto e na rodoviária de Manaus. As vacinas começaram a ser aplicadas ontem em pessoas viajando para a Venezuela. Um surto da doença foi detectado naquele país no fim do ano passado, além de casos de sarampo também na Bahia. O Brasil não registrava casos de sarampo há cinco anos. A vacinação está indicada para qualquer pessoa a partir dos seis meses de idade e o ideal é que seja tomada dez dias antes da viagem para garantir a imunização. Nas férias de janeiro, segundo dados da Amazonastur, órgão oficial de turismo no Estado, pelo menos 200 mil amazonenses cruzam a fronteira para o Caribe venezuelano. Um dos caminhos preferidos é pela BR-174 (Manaus-Boa Vista), que liga o Brasil a Puerto la Cruz, no litoral venezuelano. Segundo a Amazonastur, também poderão ser vacinadas pessoas que viajam para a Bahia e também profissionais dos aeroportos, profissionais da saúde, das agências de turismo, taxistas e outros grupos de risco. Pessoas com febre, manchas avermelhadas no corpo, coriza e conjuntivite associados devem procurar o serviço médico do país em que se encontram. Os pacientes com suspeita de sarampo serão submetidos à coleta de sangue para sorologia.

Agencia Estado,

04 de janeiro de 2007 | 08h32

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.