Comissão Europeia quer proibir clonagem animal para produzir alimentos

Proposta será apresentada nesta semana e ainda precisará ir a votação; veto duraria por de 5 anos

EFE, EFE

18 Outubro 2010 | 12h55

A Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) proporá a proibição, ao menos por cinco anos, da clonagem de animais para obter alimentos, como a carne ou o leite.

 

A Comissão apresentará um relatório no qual proporá "suspender temporariamente" essa técnica da reprodução de gado para a produção de alimentos, segundo uma minuta a qual a Agência Efe teve acesso.

 

No entanto, o órgão quer permitir que os animais sejam clonados para objetivos relacionados à pesquisa ou para conservar espécies em risco de extinção.

 

O relatório sugerirá também vetar as importações de carne, leite e outros alimentos procedentes de gado obtido a partir dessa técnica.

 

A Comissão deve justificar a pertinência da proibição, que pode ser revista em cinco anos, por conta das preocupações morais na sociedade e do bem-estar dos animais.

 

A proposta deverá ser aprovada pelo Conselho de ministros da UE e pelo Parlamento Europeu.

 

Atualmente, a clonagem animal é praticada por alguns países do bloco, mas apenas para pesquisa, visto que no mercado europeu não há carne, nem leite procedentes de clones.

 

Os Estados Unidos são o país mais avançado do mundo nessa tecnologia, embora Argentina, Brasil e Japão também tenham pesquisas bastante desenvolvidas no assunto.

Mais conteúdo sobre:
clonagem transgênicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.