REUTERS
REUTERS

Comitê Olímpico Internacional se mobiliza contra zika

Dirigente minimizou riscos de cancelar evento no Brasil; entidade vai enviar recomendações para as delegações nacionais de atletas

O Estado de S. Paulo

28 Janeiro 2016 | 14h38

ATENAS - O Comitê Olímpico Internacional (COI) fará "todo o possível" para manter os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro a salvo da epidemia do vírus Zika que atinge as Américas e, especialmente, o Brasil. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 29, pelo presidente da entidade esportiva, Thomas Bach, durante visita a Atenas.

Bach explicou que o COI "hoje mesmo ou amanhã enviará uma nota aos comitês olímpicos nacionais sobre como agir frente o problema e informar aos atletas. O dirigente, de todos os modos, minimizou o risco, ao dizer que as Olimpíadas acontecerão em agosto, durante o inverno brasileiro, sob "condições climáticas diferentes" das atuais.

 

O Zika é transmitido por mosquitos que proliferam em climas quentes e chuvosos, como o brasileiro. A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta quinta que vai convocar cientistas na próxima semana para decidir se declara o zika uma "ameaça internacional".

A estimativa da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) estima entre três e quatro milhões de atingidos pelo vírus nas Américas. O Brasil é o país mais afetado pela epidemia. /COM AGÊNCIAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.