Companhia aérea pede que 27 mil funcionários tirem férias não-remuneradas por causa do coronavírus

Companhia aérea pede que 27 mil funcionários tirem férias não-remuneradas por causa do coronavírus

Recomendação foi feita pelo gerente geral da Cathay Pacific, principal empresa de aviação comercial em Hong Kong

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2020 | 06h29

A Cathay Pacific, principal companhia aérea de Hong Kong, pediu nesta sexta-feira aos seus 27 mil funcionários que tirem três semanas de férias sem remuneração para evitar a propagação do novo coronavírus, anunciou o gerente geral Augustus Tang nesta quarta-feira, 5. Na véspera, a primeira morte pela doença foi confirmada na região

"Espero que todos participem, desde os nossos empregados que se encontram na linha de frente (em contato com os clientes) até os nossos executivos”, declarou Tang em vídeo divulgado na internet.

Ainda nesta madrugada, duas companhias aéreas dos Estados Unidos, United e American Airlines, anunciaram a suspensão de todos os vôos com destino a Hong Kong, depois de já terem cancelado o trajeto até a China continental. Ambas as linhas serão interrompidas no sábado, 20 de fevereiro. 

Na terça-feira, 4, o total de chineses mortos pelo coronavírus já havia chegado a 490, com mais de 24.300 casos confirmados. / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Hong KongChina [Ásia]coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.