Computador ajuda médicos a detectar câncer de mama

Com ajuda de um computador, radiologista consegue detectar mais tumores nas mamopgrafias

AP,

01 de outubro de 2008 | 18h52

Um computador pode ser uma grande ajuda para ajudar um radiologista a detectar câncer de mama em uma mamografia, diz um dos maiores e mais rigorosos testes já feitos sobre o uso de computadores nesse tipo de prática.   Como corretores ortográficos em busca de erros, os computadores marcam as áreas suspeitas em radiografias, chamando a atenção do profissional. Mamografias são usadas para fazer a triagem de mulheres com os primeiros sinais do câncer de mama, mas os exames não são perfeitos. Quando a leitura é feita por um só radiologista,  os tumores às vezes passam batido.   A Detecção Auxiliada por Computador, ou CAD,  foi desenvolvida para ajudar radiologistas a descobrir mais cânceres. Usada há vários anos, a técnica ainda é alvo de debate.   Agora, pesquisadores britânicos informam resultados de um estudo de 31 mil mulheres. No Reino Unido, mamogramas geralmente são analisados por dois radiologistas, o que, acredita-se, é melhor que uma análise única. Os pesquisadores buscaram determinar se um computador poderia cumprir o papel de um par extra de olhos. O estudo determinou que a CAD descobriu praticamente o mesmo número de tumores, 198 de 227, comparados com os 199 encontrados pela dupla de examinadores.   Em países onde a leitura por um só técnico é o procedimento padrão, "a detecção auxiliada por computador tem o potencial de melhorar as taxas de detecção do câncer ao nível atingido pela leitura dupla", disseram os autores. O trabalho aparece na edição desta quarta-feira, 1º, do New England Journal of Medicine.

Tudo o que sabemos sobre:
câncermamografia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.