Condicionador da Turma da Mônica é recolhido do mercado

Produto tem excesso de acidez e foi tirado de circulação; na semana passada, talco também foi restringido

Carolina Freitas, da Agência Estado,

21 de janeiro de 2009 | 12h43

A Secretaria da Saúde de São Paulo determinou nesta quarta-feira, 21, a interdição e recolhimento de 10 mil unidades do condicionador infantil da "Turma da Mônica". Análise do Centro de Vigilância Sanitária constatou que uma amostra do produto tem pH mais baixo do que o registrado em sua fórmula, ou seja, é mais ácido do que deveria. Os condicionadores interditados são do lote 8057, com vencimento em fevereiro de 2010.   A fórmula do produto prevê valores de pH entre 5,5 e 6,5. A amostra analisada teve pH médio de 5,25, mais ácido que deveria. A Secretaria recomenda que o uso do produto seja suspenso. Caso o consumidor queira devolver ou trocar o condicionador, deve procurar o fabricante ou os órgãos de defesa do consumidor, como a Fundação Procon.   Esse é o segundo produto da "Turma da Mônica" interditado em menos de uma semana por problemas de acidez. Na sexta-feira, 16, a Secretaria determinou que a fabricante, a Lipson Cosméticos, recolhesse o lote 7226 do talco cremoso da linha.   A Secretaria irá notificar a Vigilância Sanitária Municipal de Diadema, onde fica a sede do fabricante, para que faça uma inspeção na fábrica e verifique todas as etapas da produção dos produtos. Se o problema já constatado não for pontual, a empresa poderá ter todos os lotes interditados. A Lipson foi procurada pela reportagem, mas a assessoria não foi localizada para responder pela empresa.   Kimberly-Clark Brasil   A Kimberly-Clark Brasil, que tem os direitos de comercialização dos produtos infantis da Turma da Mônica, divulgou nota explicando que os produtos talco cremoso e o condicionador da Turma da Mônica, realmente possuem diferença entre o pH registrado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 2007. Segundo a nota, a diferença apurada é mínima e não torna o produto inadequado ao consumo, visto que não causa nenhum prejuízo à saúde, conforme resultados de testes emitidos pela Medlab - Laboratório de Análises Cientificas e Allergisa Pesquisa Dermato-Cosmética Ltda. Para a empresa, não há a necessidade de recall envolvendo os produtos, já que não foi registrada nenhuma reclamação de consumidores e o registro dos produtos junto à Anvisa já foram atualizados pela empresa. A Kimberly-Clark e a Lipson Cosméticos, fabricante dos produtos, estão retirando os lotes junto a seus clientes por medida preventiva e estão empenhadas em regularizar a situação.   "A Kimberly-Clark e a Lipson, fabricante do produto, estão retirando junto a seus clientes apenas os produtos do lote analisado por medida preventiva e estão empenhadas em regularizar a situação, pois têm um compromisso real com o bem-estar e a saúde de seus consumidores", diz o comunicado.   (Com Solange Spigliatti, do estadao.com.br)   Ampliada às 14h43

Tudo o que sabemos sobre:
Turma da Mônicaprocon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.