Divulgação
Divulgação

Congressista baleada pode assistir ao lançamento do Endeavour

Marido de Gabrielle Giffords, Mark Kelly, comandará a viagem do ônibus espacial

EFE,

26 Abril 2011 | 10h28

Washington - A congressista Gabrielle Giffords, que foi gravemente ferida em um tiroteio em janeiro, tem permissão médica para assistir ao último lançamento da nave Endeavour que seu marido, Mark Kelly, comanda, informou a rede de televisão ABC.

Veja também:

linkNasa anuncia destinos de ônibus espaciais 'aposentados'

link Nasa remarca lançamento da Endeavour para o fim de abrilpara

link Toupeira Krtek viajará a bordo do ônibus espacial Endeavour

Gabrielle está internada no Hospital Hermann Memorial em Houston (Texas), após ser atingida por disparos na cabeça durante um tiroteio em Tucson (Arizona), no qual morreram seis pessoas e 13 ficaram feridas, incluindo a democrata.

Dong Kim, o neurocirurgião que supervisiona a reabilitação da política americana, reiterou em artigo que publicou neste domingo no jornal The Arizona Republic que se sente à vontade com a ideia de Gabrielle viajar à Flórida para assistir ao lançamento do Endeavour, mas até agora não anunciou a autorização formal.

A ABC assegura ter confirmado que a congressista recebeu permissão dos médicos para assistir ao vivo na sexta-feira ao lançamento da nave, que também contará com a presença do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

The Arizona Republic relatou em um artigo a dura batalha de Gabrielle para voltar a realizar tarefas normais como falar e caminhar.

A congressista fala quase sempre com monossílabos e frases curtas como "te amo", "ótimo" e "Saia", relata a publicação.

O jornal afirma que a política anseia sair do centro de reabilitação e repete frequentemente que sente falta de Tucson, a cidade do Arizona na qual se criou e onde desenvolveu a maior parte de sua carreira política.

"Sinto saudades de Tucson", diz com frequência a congressista, que fica frustrada quando não consegue elaborar frases longas, embora quando encontra as palavras que procura fala de forma clara e em um ritmo normal.

Os médicos que supervisionam sua reabilitação a situam entre os 5 % dos pacientes que melhor evoluem após sofrer esse tipo de traumatismo, informou The Arizona Republic.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.