Design único/Tramontina
Design único/Tramontina

Conheça os benefícios de incorporar o consumo de chás em sua rotina

Bebidas feitas com infusão podem ajudar no processo digestivo, com a retenção de líquidos e no alívio da cólica menstrual

Ana Lourenço, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2022 | 05h00

Muito mais do que suas propostas de curas medicinais para o corpo, o ritual de tomar chá pede por um momento de introspecção. Diferentemente do café, que costuma ser tomado de maneira rápida e com muitas repetições ao longo do dia, o chá parece ter um envolvimento maior com o tempo – seja pela sua maneira de preparar, seu tempo de degustação ou pelo simples ritual de bebê-lo. 

Aliás, foi assim que as infusões surgiram, 5 mil anos atrás, na China. De lá para cá, os rituais continuam no Marrocos, no Japão, na Coreia, na Inglaterra e até mesmo no Brasil, com o chimarrão. “A gente não pode esquecer que somos o maior produtor de erva-mate do mundo e se fizermos uma relação da roda de chimarrão, em que as pessoas sentam e compartilham, é muito parecida com o ritual do chá japonês”, conta a especialista em chá Carla Sauerressig. 

Vale ressaltar, no entanto, que, tecnicamente, o chá é a infusão apenas da planta de origem asiática Camellia sinensis. Quando for feita com ervas, especiarias, cascas, flores e frutas, a bebida deve ser chamada de infusão ou tisana. São diversos os motivos para degustá-la e várias as maneiras de extrair seu sabor. Fazer uma infusão antes de dormir, quando se está com cólica, ou pelo puro prazer. Saiba como escolher a melhor infusão, de acordo com o seu momento: 

O preparo

“Para preparar uma xícara perfeita, você deve se preocupar com três fatores: ingredientes de boa procedência, acessórios corretos e cuidadoso modo de preparo. Para esse último, pense nos três T’s: tipo de chá, temperatura da água (de 60º C a recém-fervida) e tempo de infusão (que vai de 1 a 5 minutos)”, explica a sommelier de chás Raquel Magalhães.

Outro fator importante é a qualidade da água, responsável por mais da metade da composição do chá. O ideal é filtrar a água ou usar marcas mais leves, ou seja, com menos teor de sal. 

Tipos de chá 

Nos dias quentes, eles são opções saudáveis para se refrescar, e ainda aceleram o metabolismo, uma vez que o organismo precisa trabalhar mais para metabolizar o líquido. Já nos dias mais frios, a bebida quente traz sensação de aconchego e conforto

Para o chá gelado, o método mais comum adotado é pela infusão com água quente, seguida de algumas horas no congelador. Mas também é possível fazer a bebida com resfriamento rápido, no qual você usa metade da água para a infusão e termina com outra metade equivalente em cubos de gelo.

Benefícios para o corpo

Além do bem-estar, os chás e infusões também são muito procurados para a saúde. O hibisco, por exemplo, auxilia na diminuição da retenção de líquido, além de ter capacidade antioxidante. Já a cavalinha em infusão alivia o inchaço e ajuda na eliminação de líquidos retidos pelos rins.

Para ajudar na digestão, é recomendado o dente-de-leão, que estimula o fígado a produzir a bile, ou a erva-doce, que auxilia no fluxo digestivo. O gengibre também é ótimo para intestino e estômago, além de ser conhecido por acelerar o metabolismo. Além, claro, do bom e velho boldo, que auxilia na digestão da gordura e melhora os problemas digestivos e hepáticos. 

No entanto, Carla lembra que cada um vai reagir de um jeito para os componentes. “O organismo humano é uma máquina individual e tem coisas que podem fazer bem para mim e outras que não. Tem um monte de especiarias que são anti-inflamatórias, mas temos que dissociar um pouco dessa coisa de remédio. É o ritual que traz uma certa magia”, diz.

Humor e mente

A ideia de parar para tomar um chá nos leva a um estado de calmaria – que nem sempre é real. Mas alguns componentes, de fato, ajudam a melhorar o estresse. 

A camomila, por exemplo, além de diminuir a ansiedade e ser um ótimo relaxante muscular, também pode auxiliar no alívio das cólicas menstruais. O mesmo ocorre com a lavanda, que também ajuda no combate à insônia. A erva-cidreira possui efeito calmante e sedativo; o maracujá, com o componente passiflora, é um dos calmantes mais conhecidos; além da hortelã, que tem propriedades analgésicas e calmantes.

O verdadeiro chá

A verdadeira planta para chá, a Camellia sinensis, pode ser transformada nos chás branco, verde, amarelo, oolong, preto e escuro. Por ter cafeína, eles são boas alternativas para quem quer cortar o consumo do café. Além disso, têm nutrientes como o tanino, que ajuda nos processos de cicatrização do corpo; os flavonoides, que auxiliam na absorção de vitamina C e têm ações antialérgicas; e vitamina K, que ajuda na saúde óssea. 

Apesar disso, atente-se ao excesso do consumo. Ansiedade, dor de cabeça, insônia e aceleração dos batimentos cardíacos são algumas das possíveis consequências. 

Ritual

Crie o seu próprio momento para degustar a bebida. É legal associar a hora do chá com um momento do dia, uma atividade que antecede ou sucede à bebida e até, por que não, as louças utilizadas.

Desde o preparo da infusão até a escolha do acompanhamento, há muitas etapas que fazem parte do ritual. É possível ainda criar novos sabores, com mistura de especiarias ou relembrar gostos nostálgicos com receitas de família. “O chá é lúdico, místico, cultural, artístico e histórico”, conta Raquel. “Ele nos convida a desfrutar de um tempo de qualidade, a redescobrir a arte da conversa descontraída, criando um novo mundo de aromas e sabores.”

Tudo o que sabemos sobre:
bebidacháestresseinsônia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.