Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Conselho Federal de Medicina critica índice de saúde divulgado pelo Pnud

Para o órgão, IVH da ONU é 'suscetível a distorções em sua leitura e aplicabilidade'

Agência Brasil

11 de agosto de 2010 | 21h28

BRASÍLIA - O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou nota nesta quarta-feira, 11, criticando o Índice de Valores Humanos (IVH) divulgado na última terça pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

De acordo com pesquisa de opinião do órgão, 51% dos brasileiros entrevistados acham que o atendimento de saúde no Brasil é demorado, 37% avaliam que a linguagem usada pelos médicos é complicada e 33% opinam que existe pouco interesse das equipes médicas na hora do atendimento.

Para o CFM, o índice de avaliação do Pnud é “suscetível a distorções em sua leitura e aplicabilidade”. “No caso, o IVH-Saúde peca ao desconsiderar aspectos da gestão dos serviços de assistência, sendo que seu questionário acaba por limitar a um momento específico do processo de atendimento a responsabilidade pela baixa satisfação dos usuários”, informa o comunicado da entidade.

Ainda de acordo com o conselho, o desempenho dos médicos “sofre a consequência de investimentos reduzidos e de problemas de gerenciamento”, especialmente no poder público. “Sendo assim, a ausência dessas dimensões na formulação do IVH-Saúde contribui para uma percepção distorcida da qualidade da assistência e do papel do profissional nesse contexto”, afirma.

O Ministério da Saúde também criticou o índice do Pnud. Para o órgão, as perguntas feitas pelo programa das Nações Unidas são “reducionistas” diante da complexidade do setor no País e não avaliou, por exemplo, a relação do profissional com o paciente e nível de atenção.

O coordenador do Relatório de Desenvolvimento Humano do Pnud, Flávio Comim, explicou que o estudo não aferiu somente o atendimento prestado pela rede pública de saúde. A pesquisa ouviu duas mil pessoas em 23 Estados e no Distrito Federal.

Tudo o que sabemos sobre:
CFMPnudONUSaúdeIVH

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.