99 / Divulgação
99 / Divulgação
Conteúdo Patrocinado

Consumidores ampliam uso do transporte individual

Empresas de aplicativos registram aumento de demanda na quarentena

Media Lab Estadão, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

25 de junho de 2020 | 11h47

Como o uso do transporte coletivo muitas vezes implica grandes aglomerações, este é um cenário de onde as pessoas que podem estão tentando fugir ao máximo em tempos de circulação do coronavírus. Os usuários que antes buscavam os meios de transporte por aplicativo apenas para trajetos curtos estão reescalonando as viagens.

“Desde que as cidades iniciaram o processo de flexibilização, houve aumento na demanda pelos nossos serviços. Os usuários que só pegavam o carro para pequenos trajetos, como para chegar até o ponto de ônibus ou metrô, começam a usar também para chegar até o trabalho”, diz Davi Miyake, diretor de Operações da 99. A empresa não informa os números de viagens no período, mas, segundo Miyake, na China, o aplicativo já recuperou 100% do patamar de deslocamentos de antes da crise.

A empresa Sity Inc., por sua vez, criou um fundo de R$ 2 milhões para apoiar aqueles que, mesmo em tempos de quarentena, precisam sair de casa seja para o trabalho ou para alguma situação de urgência. A campanha prevê descontos nas corridas feitas em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Curitiba, Belo Horizonte e Brasília até o dia 30 de junho.

O aumento no volume de corridas pode ser percebido também pela busca por aluguel de veículos. Nos últimos 30 dias, a Kovi, startup de aluguel de veículos para motoristas de aplicativo, registrou aumento na procura. O grupo atua em duas cidades: São Paulo e Porto Alegre, que tiveram, respectivamente, 47% e 68% de crescimento.

Limpeza geral

As empresas de transporte por aplicativo afirmam que vêm investindo em centros de higienização para os veículos. A Uber inaugurou em junho seu primeiro centro de higienização, que permite que os parceiros façam limpeza dos veículos, retirem kits com itens de proteção e higiene (máscara, luvas e desinfetante) e instalem divisórias de PET para proteção adicional nos carros. A névoa utilizada no lava rápido é feita com um potente desinfetante e tem certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), adere a todas as superfícies internas do carro. A higienização por meio da solução, que não tem cheiro nem é tóxica,dura 10 minutos.

A 99 também criou 15 bases de proteção para a desinfecção gratuita dos veículos de parceiros, que é feita com névoa seca. “A pulverização dos produtos tem efeito residual de até 72 horas”, explica Davi Miyake.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.