Consumo de cafeína pode dobrar risco de aborto, diz estudo

Pouco mais de 200 mg por dia já pode ser o suficiente para provocar aborto.

Da BBC Brasil, BBC

21 de janeiro de 2008 | 06h50

Um estudo conduzido por cientistas americanos sugere que o consumo de cafeína durante a gravidez pode dobrar as chances de aborto.A pesquisa, publicada na revista científica American Journal of Obstetrics, afirma que a ingestão de 200 mg de cafeína por dia - o equivalente a pouco mais de duas xícaras de café - já pode ser o suficiente para provocar o término da gravidez.Os especialistas entrevistaram 1.063 mulheres, às quais pediram que dessem detalhes sobre o consumo de cafeína até a 20ª semana de gestação. Eles descobriram que 102 mulheres já tinham abortado quando o questionário foi aplicado, enquanto que outras 70 perderam os bebês nos dias que se seguiram. Entre as 264 mulheres que disseram não ter consumido cafeína, a porcentagem de aborto foi de 12,5% e entre as 164 que disseram ter ingerido 200 miligramas ou mais de cafeína por dia, 24,5% abortaram.AbstinênciaO coordenador do estudo, De-Kun Li, aconselha que as gestantes se abstenham de café nos três ou quatro primeiros meses da gravidez."Se por alguma razão for impossível deixar de tomar café, elas deveriam tomar apenas uma xícara por dia ou então tomar a versão descafeinada", disse.O especialista enfatiza que o aumento do risco de aborto foi associado diretamente à cafeína e não a outros fatores de risco, como idade da gestante ou cigarro.Estudos anteriores mostraram que a cafeína pode atravessar a placenta, mas ainda não está claro como a substância pode afetar no desenvolvimento do feto. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
gravidezabortocafeína

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.