DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Contra novo coronavírus, ministro segue Guedes e recomenda turismo no Brasil

Mandetta afirmou que é preciso "bom senso" e sugeriu evitar viagens a países com transmissão interna da doença, ainda que não seja uma recomendação oficial do governo. Ministro da Economia já havia feito sugestão ao comentar alta do dólar

Mateus Vargas e Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2020 | 23h38

BRASÍLIA - Em tom irônico, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), recomendou nesta quarta-feira, 26, o turismo no Brasil para evitar contaminação por novo coronavírus.  

Mandetta afirmou que é preciso "bom senso" e sugeriu evitar viagens a países com transmissão interna da doença, ainda que não seja uma recomendação oficial do governo. A declaração foi dada em entrevista coletiva à imprensa para oficializar o primeiro caso de novo coronavírus no Brasil.

"Se você não tem por que ir para a Lombardia (região da Itália), por que ir para a Lombardia? Vou lá para olhar? Vou passear? Aí prefiro passear no Hemisfério Sul", disse Mandetta.

No último dia 12, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o dólar mais barato prejudicava exportações e permitia que empregada doméstica pudesse ir para a Disneylândia. "Uma festa danada", completou Guedes, recomendando viagens no Brasil. O comentário provocou repúdio de autoridades e críticas nas redes sociais. 

Em entrevista nesta quarta-feira, 26, Mandetta citou alguns dos destinos que haviam sido recomendados por Guedes em fala sobre a taxa de câmbio, como Foz do Iguaçu (PR) e Cachoeira do Itapemirim (ES). "Mais uma razão para fazer turismo interno no Brasil. Se for para negócios, faça o uso de toda a tecnologia", disse Mandetta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.