Nasa/Divulgação
Nasa/Divulgação

Cosmonautas lançam microssatélite e perdem antena durante caminhada espacial

Os especialistas não sabem quando a estrutura desapareceu e nem como ela quebrou, segundo Josh Byerly, do Centro Espacial Johnson da Nasa

Efe

04 Agosto 2011 | 09h03

WASHINGTON - Os cosmonautas russos Sergei Vólkov e Aleksandr Samokutiáyev lançaram nesta quarta-feira o microssatélite russo Cedro, porém, uma das antenas se perdeu durante a caminhada espacial que realizaram fora da Estação Espacial Internacional (ISS).

 

A 35ª excursão na história do segmento russo da plataforma orbital, que durou 6 horas e 23 minutos, cumpriu quase todas as tarefas previstas, exceto a de movimentar um guindaste de carga de uma parte da estação espacial a outra, pois ficaram sem tempo.

 

O lançamento do satélite era a primeira tarefa da lista, mas teve que ser adiada por três horas - tempo que o Centro de Controle de Terra, em Houston (Texas), levou para decidir se continuaria com a operação após detectar que uma das antenas do satélite tinha desaparecido.

 

Os especialistas não sabem quando a estrutura desapareceu e nem como ela quebrou, segundo Josh Byerly, do Centro Espacial Johnson da Nasa, durante a transmissão da saída extraveicular no canal de televisão da agência espacial americana por meio da internet.

 

O satélite poderá operar com uma só antena, já que a capacidade de transmissão não será afetada, embora a recepção da informação na Terra seja parcialmente prejudicada.

 

O Cedro, que chegou à ISS em janeiro a bordo do cargueiro russo Progress, emitirá durante duas semanas 25 mensagens de saudação em 15 idiomas, fotografias da Terra e outros dados técnicos do aparelho.

 

A missão do microssatélite, de 30 quilos, inscreve-se no programa educativo da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em ocasião do aniversário de 50 anos desde que o primeiro homem, Yuri Gagarin, foi para o espaço, em 12 de abril de 1961.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.