Cosmonautas preparam módulo russo para descarte

Dois cosmonautas russos saíram na quinta-feira da Estação Espacial Internacional para preparar a retirada de um módulo russo de atracação que deve ser liberado e incinerado na atmosfera no ano que vem.

IRENE KLOTZ, REUTERS

16 de fevereiro de 2012 | 21h05

Oleg Kononenko e Anton Shkaplerov saíram da câmara pressurizada da estação por volta de 2h30 (hora de Brasília), e deveriam passar seis horas flutuando no espaço. É a primeira de três caminhadas espaciais programadas para este ano.

A primeira tarefa deles seria deslocar um dos dois guindastes Stela, com 14 metros cada, do exterior do módulo de atracação Pirs, que desde 2001 é parte da Estação - um projeto multinacional de 100 milhões de dólares. Os guindastes operados manualmente são usados pelos astronautas para deslocar equipamentos pela parte russa da Estação.

O complexo orbital, que sobrevoa a Terra a 385 quilômetros de altitude, é usado para experiências médicas, físicas e de outros tipos, aproveitando o ambiente de microgravidade.

O Pirs deve ser removido da estação em julho de 2013, para dar lugar a um novo módulo laboratório multiuso, chamado Nauka, que combina docas de atracação, espaço para experimentos, um banheiro adicional e dormitório para um tripulante a mais.

A caminhada espacial dos russos foi transmitida pela TV da Nasa.

O segundo guindaste Stela será transferido durante uma saída ao espaço marcada para agosto.

Antes de voltarem para a Estação, Kononenko e Shkaplerov planejavam instalar cinco escudos antidetritos no lado de fora do módulo de comando. Isso ajudará a proteger a Estação do impacto de micrometeoroides.

A Rússia pretende retirar de órbita o Pirs e lançá-lo na atmosfera sobre um oceano com uma nave cargueira Progress, semanas antes do lançamento ao espaço do novo módulo.

O Pirs tem 4,9 metros e 3.580 quilos, mas a maior parte deve queimar na atmosfera. Eventuais pedaços que resistirem ao atrito devem cair no mar, sem causar danos.

Tudo o que sabemos sobre:
ESPACORUSSIAASTRONAUTAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.