Cresce número de britânicos viciados em sexo, diz pesquisa

Sondagem da BBC aponta que pornografia na internet é mais comum entre os viciados.

Helen Neill, BBC

10 de janeiro de 2008 | 10h10

Uma pesquisa conduzida pela BBC com terapeutas sexuais e de relacionamento sugere um aumento no número de homens britânicos viciados em sexo.A sondagem revela que, entre os 43 especialistas britânicos entrevistados, cerca de 80% avaliam que o vício em sexo é um problema.A pesquisa revela ainda que o uso obsessivo de pornografia pela internet é a forma mais comum da condição.Segundo os terapeutas, em casos mais graves, alguns "viciados" passam até oito horas por dia em sites pornográficos e correm o risco de perder o trabalho ou o parceiro por causa da obsessão.No questionário, conduzido para o programa Newsbeat, da BBC Radio 1, 74% dos terapeutas afirmaram que os casos em que o uso abusivo de pornografia na internet causa problemas no relacionamento estão se tornando cada vez mais comuns.De acordo com a Relate, organização que presta serviços de aconselhamento, há um "grande aumento" no número de pessoas que afirmam que o comportamento sexual compulsivo está atrapalhando o relacionamento.InternetA pesquisa aponta que, enquanto o sexo casual freqüente, o sexo de risco e o uso de prostitutas são relativamente comuns entre os viciados, o uso da pornografia na internet é mais freqüente.Segundo os terapeutas, o uso de sites pornôs e do "cybersexo" é visto como "anônimo, barato e seguro" entre os viciados.Uma das entrevistadas afirmou que recentemente, com a disponibilidade da pornografia na internet, os homens parecem se viciar mais rápido em sexo. Ela comentou que um dos piores casos que tratou foi de um homem que fazia sexo de 10 a 12 vezes por dia.Para Christine Lacy, consultora da Relate, o problema atinge também os adolescentes. "Os conselheiros da Relate que trabalham com adolescentes relataram que o acesso instantâneo de imagens pornográficas na internet e nos telefones celulares traz preocupações sobre a habilidade dos jovens em terem relações sexuais normais na vida adulta", afirmou Lacy. RelacionamentoLacy disse ainda que muitos viciados afirmam que sentem suas vidas "fora do controle". "Somente nos últimos dois anos, a Relate testemunhou um aumento no número de pessoas que abusam do uso de sites pornográficos e cujo o comportamento sexual compulsivo está causando problemas no relacionamento." Além disso, a terapeuta afirma ainda que o comportamento abusivo causa um impacto na vida pessoal e profissional dos viciados em sexo."Os parceiros ficam furiosos e se sentem traídos", afirmou. "Enquanto alguns podem apoiar os viciados, outros não conseguem continuar com a relação, o que acaba causando um impacto nos filhos, no trabalho e no restante da família."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.