Crianças não devem tomar remédio para resfriado, diz comitê

A recomendação atinge drogas descongestionantes, expectorantes, anti-histamínicas e antitussígenas

Associated Press,

19 de outubro de 2007 | 18h39

Remédios contra tosse e resfriado não funcionam em crianças e deveriam ser proibidos para menores de 6 anos, decidiu um comitê consultivo da FDA, órgão do governo dos EUA que regulamenta o mercado de medicamentos. A FDA não é obrigada a seguir as disposições dos comitês consultivos, mas costuma fazê-lo.   Segundo o grupo de especialistas, remédios para resfriado vendidos sem receita médica deveriam ser submetidos a mais estudos, mesmo depois de décadas nas quais bilhões de doses foram aplicadas a crianças todos os anos.   "Os dados que temos agora é de que não parecem funcionar", disse o epidemiologista Sean Henry, um dos especialistas convocados pela FDA para analisar esses medicamentos, vendidos para o alívio dos sintomas do resfriado. A recomendação se aplica a remédios contendo uma ou mais substâncias descongestionantes, expectorantes, anti-histamínicas e antitussígenas.   A recomendação deverá levar a uma mudança radical na forma como esses medicamentos - que vinham escapando a um escrutínio mais intenso - são rotulados para o mercado americano, promovidos e usados.   Em duas votações separadas, os membros do comitê decidiram que os remédios não devem ser usados em crianças menores de 2 e menores de 6 anos. Uma terceira votação, para vetar o uso em menores de 11 anos, não obteve maioria.   Numa votação anterior, o comitê pediu, por unanimidade, mais estudos para determinar se os remédios realmente funcionam.   Essa recomendação exigirá que a FDA reclassifique os princípios ativos desses remédios, atualmente reconhecidos como seguros e eficientes, o que os exime de testes obrigatórios. O processo poderia levar anos.

Tudo o que sabemos sobre:
fdaresfriadoeuapediatriacrianças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.