Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Crise da Unimed Paulistana atinge 2 mil médicos cooperados

Segundo o presidente da operadora, profissionais não receberam pagamentos de setembro e outubro; não há prazo para regularizar

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

04 Novembro 2015 | 08h51

SÃO PAULO - A  crise financeira da Unimed Paulistana, que tem uma dívida fiscal superior a R$ 1 bilhão, atingiu também cerca de 2 mil médicos cooperados da empresa. Os profissionais não receberam os pagamentos de setembro e outubro e não há prazo para que a situação seja regularizada, segundo o atual presidente da operadora, Marcelo Nunes. 

"Os médicos que trabalham na Unimed Paulistana não são prestadores de serviço, mas cooperados e sócios da empresa. Infelizmente, não havendo fluxo de caixa suficiente para honrar todos os compromissos, claro que o dono da empresa tem de fazer a sua parte e é por isso que eles não receberam", explica Nunes.

O novo presidente da operadora diz que ainda não é possível saber quando a situação será normalizada. "Os médicos cooperados, se a empresa ainda tiver algum fluxo de caixa, vão ter a sua parte devidamente acertada dentro do que for possível. Se não for, eles são donos da empresa e vão arcar conosco com o que está acontecendo."

A situação preocupa os profissionais, que já contabilizam prejuízos. "Muitos médicos estão em uma situação financeira difícil, criando débitos. No meu consultório, 70% das pacientes são da Unimed Paulistana. Eu atendia de segunda a sexta, das 8 horas às 18 horas. Agora, só atendo de terça a quinta, das 9 horas às 11 horas", contabiliza a médica obstetra Regina Maria Fragoso de Castro, de 62 anos.

Ela, que é médica cooperada da operadora há 30 anos, diz que deixou de receber pelo atendimento de 700 pacientes nos meses de setembro e outubro. O valor da consulta é de R$ 80.

Em setembro, a Unimed Paulistana teve de transferir seus 744 mil beneficiários para outras operadoras por determinação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O prazo para transferência de planos com menos de 30 vidas e individuais/familiares foi prorrogado e vai se encerrar em 15 dias.

Mais conteúdo sobre:
Unimed

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.