CRM apura morte de dona de casa após lipoaspiração na Paraíba

Paciente morreu três dias após o procedimento; entidade investiga outra morte ocorrida após lipo no Estado

PRISCILA TRINDADE, Agencia Estado

05 Fevereiro 2010 | 13h06

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) instaurou nesta quinta-feira, 4, sindicância para apurar as causas da morte da dona de casa Ana Cláudia de Oliveira Godeiro, de 34 anos, após uma cirurgia de lipoaspiração.

 

Veja também:

linkLipoaspiração em consultório pode colocar vida de pacientes em risco

linkFamília suspeita de negligência em morte durante lipo em SP 

 

Ela sofreu complicações em razão da cirurgia realizada no Hospital Memorial Santa Tereza, em João Pessoa, e morreu três dias depois de se submeter ao procedimento. Ana Cláudia foi transferida para o Hospital da Unimed no sábado, mas não resistiu.

Além desse caso, o CRM-PB investiga as causas da morte da psicóloga Conceição de Maria Palha, de 31 anos, também após uma lipoaspiração, mas no Hospital Samaritano, em João Pessoa.

No último dia 25, a jornalista Lanusse Martins, de 27 anos, também foi vítima de um processo cirúrgico semelhante feito em uma clínica particular na Asa Sul, em Brasília. Um laudo apresentado pelo Instituto Médico legal (IML) revelou que a jovem teve uma veia perfurada na região renal, o que provocou hemorragia. O cirurgião plástico Hackel Cabral foi indiciado por homicídio doloso (com intenção de matar).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.