CTNBio libera para comercialização algodão e milho transgênicos

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança aprovou ainda duas vacinas contra doenças que afetam as aves

Agência Brasil,

17 Junho 2011 | 09h04

BRASÍLIA - A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou na quinta-feira, 16, a liberação comercial de algodão geneticamente modificado tolerante ao herbicida glifosato. O pedido de liberação foi feito pela multinacional Monsanto.

 

O presidente da Comissão, Edilson Paiva, disse que o glifosato não traz risco à saúde da população. "A missão da comissão [CTNBio] é analisar ideologicamente esses organismos geneticamente modificados. Se foi aprovada pra liberação comercial, é que as análises mostraram que ele deve ser tão seguro quanto as suas versões convencionais", disse.

 

A comissão também liberou o pedido da Du Pont do Brasil para a comercialização do milho transgênico desenvolvido pela empresa.

 

A CTNBio aprovou ainda duas vacinas contra doenças que afetam as aves, a bouba, que causa lesões nas pernas e na cabeça do animal; e a laringotraqueíte , doença respiratória altamente contagiosa causada por um herpes vírus.

 

As duas vacinas, segundo Edilson Paiva, são produzidas por técnicos de engenharia genética e vão ser usadas no combate à doenças aviárias, na indústria de produção de carne de aves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.