REUTERS/Anton Vaganov - 11/6/2020
REUTERS/Anton Vaganov - 11/6/2020

Cuba começará testes em humanos de vacina contra covid-19

Imunizante é um projeto desenvolvido no país denominado ‘Soberana 01’; resultados podem sair em fevereiro de 2021

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2020 | 08h19

Cuba começará na próxima semana os ensaios clínicos em humanos de seu projeto de vacina contra a covid-19, o "Soberana 01". Os resultados estão previstos para fevereiro de 2021, informaram as autoridades sanitárias do país na terça-feira, 18. 

O Registro Público de Ensaios Clínicos de Cuba e o Centro de Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dispositivos Médicos autorizaram o início dos ensaios em 676 pessoas, com idade entre 19 e 80 anos. O recrutamento de voluntários começará na próxima segunda-feira, 24, e terminará no fim de outubro. 

Esses candidatos não podem ter "alterações clinicamente significativas" e devem dar seu consentimento por escrito para receber a dose, disseram as autoridades. Dessa forma, o imunizante cubano se encaixa na fase 1 de estudo - pequenos grupos de voluntários sadios são inoculados e a segurança e eficácia são avaliadas durante a produção de respostas do sistema imunológico.

De acordo com o cronograma oficial, a conclusão do estudo está prevista para 11 de janeiro de 2021. Os resultados ficarão prontos em 1º de fevereiro e serão publicados no dia 15 do mesmo mês. O chefe da Epidemiologia Cubana, Francisco Durán, disse que a expectativa é que o país tenha acesso à vacina no primeiro trimestre de 2021. "Embora haja vacinas de outros países, precisamos das nossas para ter soberania", disse o presidente Miguel Díaz-Canel, em 19 de maio. 

No último sábado, 15, as autoridades russas relataram avanços na produção da vacina Sputnik V e chegaram a manifestar intenção de produzi-la com Cuba. No entanto, a ilha socialista não se pronunciou oficialmente sobre a oferta.

O governo cubano costuma ressaltar o desenvolvimento de sua biotecnologia e apontar entre suas conquistas a própria vacina contra hepatite B./AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.