Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Cuidado com o estresse de fim de ano

Sobrecarga de trabalho e de atividades no período tendem a ocasionar problemas de saúde

Wanise Martinez, Estadão.com.br,

22 de dezembro de 2011 | 16h36

De cada dez pessoas, oito admitem sofrer altos níveis de tensão entre a segunda quinzena de novembro até o início de janeiro, mostra uma recente pesquisa da International Stress Management Association (ISMA-BR), realizada em São Paulo e Porto Alegre. Não é à toa. A lista interminável de tarefas aliada ao trânsito complicado, o empurra-empurra nas lojas e, claro, ao estouro do cartão de crédito, dispara os níveis de estresse de qualquer pessoa.

Segundo os 678 entrevistados, há mais irritação, pressa e impaciência durante o período. E esses comportamentos fazem com que as pessoas deixem a saúde de lado, passando a sofrer com sintomas emocionais e físicos preocupantes.

"Existe uma sobrecarga de trabalho e de atividades no fim do ano", diz Ana Maria Rossi, psicóloga especializada em estresse e presidente da ISMA-BR, associação mundial que se dedica ao estudo e tratamento do estresse. "Todo esse planejamento gera estresse, principalmente quando associado aos gastos e à pressão pessoal por novos objetivos para o ano seguinte", afirma.

Impactos na saúde

"Em geral, o estressado terá muito para resolver e, por isso, vai deixar de lado as atividades físicas, trocando-as pelas comemorações", explica a psicóloga Ana Maria Rossi. "Em seguida, corta a alimentação saudável e passa a estar sempre cansado, querendo dormir mais", diz.

Um dos primeiros sintomas da alta tensão ocorre quando dores comuns, como a de cabeça, ficam mais fortes, mais frequentes e duram mais. Para piorar, é comum recorrer a medicamentos, em vez de procurar válvulas de escape mais saudáveis, como a prática de esportes ou os passeios com a família. "Esse é o sinal de que é hora de parar e repensar a estratégia adotada para resolver as festividades e os compromissos", diz a psicóloga. "Não exija o que você não pode dar", frisa.

Nessa época do ano, ficamos mais sensíveis e cheios de esperança de consertar o mundo e a nós mesmos, o que piora a sensação de nervoso e a frustração que leva ao estresse. De acordo com Ana Maria Rossi, o período do Natal está mais relacionado às expectativas, enquanto o ano novo tem a ver com resoluções e objetivos a serem atingidos. "O ideal é ir se projetando durante o ano todo para conseguir melhores resultados e se sentir mais satisfeito no final", diz a psicóloga. "Se não deu esse ano, tente fazer isso para o próximo".

Veja abaixo os sintomas mais comuns e se você apresenta algum deles:

 

Sintomas emocionais do estresse

- Mais impaciente

- Mais irritado

- Mais ansioso

Sintomas físicos do estresse

- Tensões musculares e dores de cabeça

- Dificuldade na hora de dormir

- Problemas gastrointestinais

 

Tudo o que sabemos sobre:
Fim de anoestressecuidadosSaúdeVida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.