Cuidando de nós mesmos
Conteúdo Patrocinado

Cuidando de nós mesmos

Pequenas mudanças de hábito podem fazer nossa vida mais saudável

Sanofi Consumer Healthcare, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

19 de novembro de 2021 | 15h00

O autocuidado, a iniciativa de tomar decisões de forma ativa sobre a própria saúde e a dos seus entes queridos, é uma prática reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS)[1]. No último mês de junho, o órgão divulgou uma diretriz sobre o assunto em que compartilhou recomendações baseadas em evidências científicas sobre formas para prevenir doenças e manter a saúde física e mental das pessoas, mesmo quando elas não têm acesso ao serviço médico. A própria OMS lembra que essa prática não é nova: o autocuidado tem sido praticado por pessoas em todo o mundo por milhares de anos, como forma de preservar a saúde e prevenir doenças. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Medicamentos Isentos de Prescrição (ABIMIP), a sociedade se beneficia de uma população que está mais bem informada sobre os cuidados com a saúde. Com as ferramentas disponíveis para a prática do autocuidado, recursos de saúde podem ser direcionados às condições que realmente requerem tratamento e supervisão médica, o que contribui para a sustentabilidade do sistema de saúde.

A pandemia de covid-19 fez com que esse assunto fosse ainda mais urgente e importante. Cuidar da higiene do corpo lavando sempre as mãos, zelar pela limpeza da casa tirando os sapatos quando chegamos da rua foram as primeiras instruções que recebemos para evitar a contaminação pelo coronavírus. Com o home office, que entrou em cena com o isolamento social, logo começamos a perceber que algumas mudanças de hábito tinham um forte impacto no nosso bem-estar, como ficar atento à postura quando sentados em frente ao computador e assim evitar dores na coluna, e abrir espaços na agenda para incluir atividade física na nossa rotina, por exemplo.

 E se engana quem pensa que se cuidar é algo que passa sempre pelo consultório do médico. Muitas mudanças de hábito você pode incorporar hoje mesmo à rotina e assim prevenir doenças, manter ou recuperar o bem-estar, colocando-se como protagonista da sua própria saúde. Confira algumas dicas:

  1. Pratique atividade física

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que façamos pelos menos 150 minutos semanais de atividade física leve ou moderada, ou seja, cerca de 20 minutos diários de caminhada podem fazer toda a diferença na busca por uma vida mais saudável.  Exercitar-se de forma regular é importante para prevenir e controlar doenças cardíacas, diabetes tipo 2, diminuir os sintomas de depressão e ansiedade, entre outros benefícios[2].

  1. Alimentação saudável

Comer de forma saudável e equilibrada, privilegiando alimentos naturais, frescos e pouco processados é uma das formas mais efetivas para se manter saudável. Consuma sal e açúcar branco com moderação e desembale menos e descasque mais!

  1. Consciência de atitudes de risco

Segundo a OPAS, Organização Pan Americana de Saúde, o tabaco mata mais de 8 milhões de pessoas a cada ano, tanto fumantes ativos quanto os passivos[3]. Portanto, não fumar ou largar o cigarro são atitudes que podem e devem ser tomadas por aqueles que querem ter uma boa saúde. Não beber álcool ou consumir com moderação também são medidas importantes de autocuidado.

  1. Boa higiene

Você sabia que lavar as mãos é um dos principais pilares na prevenção de infecções e pode evitar até 30% dos casos de diarreia no mundo? Segundo especialistas, água, sabão e pelo menos 40 segundos são necessários para uma boa higiene das mãos.  E uma casa limpa, sem ácaros, pó e mofo é uma casa saudável e também ajuda a manter a saúde.

  1. Uso racional de produtos e serviços de saúde

Faça seus exames de rotina, esteja sempre atento a sinais e sintomas e use medicamentos de forma consciente. Existem remédios que são isentos de prescrição médica, como os para dores de cabeça, resfriados e má digestão, por exemplo, e aqueles usados para prevenir doenças, como vitaminas e antioxidantes. Se os sintomas não desaparecerem, procure o médico.

  1. Fique atento a sua saúde mental

Ter uma boa saúde mental significa sentir-se bem e capaz de apreciar a vida, lidando com os sentimentos positivos e também com os negativos. Se você se sentir ansioso, estressado ou deprimido por um período longo de tempo, procure ajuda profissional.    

Referências

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.