Cuidar da casa pode aumentar longevidade de idosos

Esqueça a cama elástica e a esteira. Só cuidar da casa e outras atividades da vida diária basta para prolongar significativamente a vida dos idosos, de acordo com uma nova pesquisa. Pessoas mais velhas que passavam o dia inteiro no sofá tiveram muito mais chance de morrer no período médio de seis anos de acompanhamento do experimento do que as que mantinham atividades como lavar pratos, passar o aspirador e subir escadas. O estudo avaliou idosos com idades entre 72 e 80 anos. Cerca de 12% das pessoas com maior nível de atividade morreram no período de seis anos, contra 25% dos participantes menos ativos. O trabalho será publicado na edição de amanhã do Journal of the American Medical Association. "Trata-se de um estudo monumental", disse o geriatra Andrew Goldberg, um especialista que não tomou parte na pesquisa. Mesmo os mais ativos dentre os 302 idosos estudados não faziam lá muita coisa. Mas chegavam a queimar 1.000 calorias ao dia, 600 a mais que os menos ativos. Para uma pessoa de 77 kg, o peso médio dos participantes, isso se reflete em cerca de 3h30min de atividade, incluindo jardinagem e arrumação da casa, contra menos de duas horas para o menos ativos. Os grupos apresentavam taxas semelhantes de doenças ligadas à idade, como diabetes, artrite e doença cardiovascular. Os mais ativos tinham maior probabilidade de realizar trabalho remunerado e de subir dois ou mais lances de escada ao dia, mas faziam bem pouco exercício tradicional, diz o principal autor do trabalho, Todd Manini.

Agencia Estado,

11 de julho de 2006 | 17h47

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.