Dados da Anvisa indicam redução no teor de sódio de alimentos

Monitoramento mostra que, entre 2011 e 2012, foram retiradas 1.295 toneladas de sal de bisnaguinhas, macarrões e pães de forma

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2014 | 16h24

BRASÍLIA - Monitoramento feito pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) indica uma redução no teor de sódio de pães de forma, bisnaguinhas e macarrões instantâneos fabricados no País. O trabalho, baseado na análise de rótulos de 287 produtos e em exames laboratoriais de outros 54, sugere que foram retiradas 1.295 toneladas do ingrediente dos três tipos de produtos entre 2011 e 2012, um resultado que atende a meta que havia sido estabelecida em um acordo feito com a associação de indústria de alimentos. Os dados sobre retirada de sódio do mercado são estimados. 

O trato, firmado em 2011 entre associação de indústria de alimentos e Ministério da Saúde, estabelecia um cronograma para retirada gradual do sódio - nutriente que é considerado um fator de risco para doenças cardíacas e renais - dos produtos industrializados no Brasil. A meta estabelecida sempre foi considerada por nutricionistas e integrantes de órgãos de defesa do consumidor muito tímida e, por isso, pouco eficaz. Os três primeiros produtos escolhidos para a primeira fase do acordo foram as massas instantâneas, os pães de forma e bisnaguinhas.

Quando a meta foi estabelecida, o teor máximo encontrado em macarrão instantâneo foi de 2.884 miligramas de sódio para cada 100 gramas do produto. O pacto era a de chegar, no ano seguinte, com teor médio de 1.960 miligramas. "Como não havia como olhar produto por produto, fixamos um valor médio. Buscávamos uma padronização", afirmou a coordenadora de Vigilância de Agravo e de Doenças não Transmissíveis e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, Deborah Malta. Ela  garante que, em 2011, o número de produtos que estava acima da média pactuada era significativamente maior do que o encontrado no ano seguinte. De acordo com o monitoramento realizado, 94,9% das marcas integrantes do pacto superaram a meta estabelecida. "É um passo muito importante, um ótimo resultado", disse o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

A escolha dos produtos para o monitoramento foi feita de forma aleatória, pelas vigilâncias estaduais. Para Deborah, a amostra analisada é significativa diante do mercado brasileiro. No caso de bisnaguinhas, 9 marcas foram submetidas a análises laboratoriais e 13 tiveram a rotulagem avaliada. O Ministério da Saúde não informou quantas marcas de bisnaguinhas existem no País.

Para avaliar o cumprimento das metas de macarrão instantâneo, 172 produtos tiveram rótulo analisado e 29 foram submetidos a análises laboratoriais. No caso de pães de forma, 102 tiveram o rótulo avaliado e 16 tiveram a composição analisada laboratorialmente. O presidente da Associação Brasileira de Indústria Alimentícia, Edmundo  Klotz, afirmou que o setor reúne 42 mil empresas e oferta cerca de 800 mil produtos.

O acordo de adesão com a indústria alimentícia estabelece acompanhamento das mudanças de rotulagem e de análises laboratoriais. Desde o ano passado, estão sendo coletadas amostras de mercadorias. Na segunda etapa do acordo, foram acertadas reduções de sódio para pão francês, batata fita, salgadinhos de milho, bolos recheados e sem recheio, mistura para bolo aerado e para bolo cremoso, maionese, biscoito salgado, biscoito doce e biscoito recheado. 

Em agosto de 2012, o trato de redução atingiu margarinas, cereais matinais, caldos em cubo e em gel e temperos. Na última, realizada em novembro passado, foram acertados limites de redução para empanados, hambúrguer, linguiça mortadela, presuntos, mussarela, requeijão, salsichas e sopas. A meta geral é obter uma redução de 28 mil toneladas até 2020, quando todas as 16 parcerias estiverem em prática. 

O brasileiro consome diariamente 12 gramas de sal. O máximo recomendado pela Organização Mundial da Saúde é de 5 gramas.

Mais conteúdo sobre:
sódioAnvisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.