Dinea Gama/Acervo pessoal
Dinea Gama/Acervo pessoal

Davi Miguel já está em hospital dos EUA à espera de um doador

Bebê que sofre de doença rara e mobilizou o País terá de fazer transplante de intestino; governo federal bancará parte do custo

Rene Moreira, Especial para o Estado

29 Julho 2015 | 14h43

FRANCA- Davi Miguel já está no hospital em Miami. Com uma parada no Caribe, o bebê e sua mãe chegaram aos Estados Unidos por volta das 18 horas desta terça-feira, 28. Apesar de ainda não ter um doador, a criança vai entrar na fila de espera e agora a torcida é para que o transplante de intestino ocorra o quanto antes.

A história de Davi - cuja família mora em Franca, no interior de São Paulo - mobilizou o Brasil, tendo sido arrecadados R$ 1,5 milhão em campanhas. O governo federal completará o custo do tratamento - estimado no total em R$ 4,5 milhões, após ação na Justiça.

O bebê sofre de uma doença rara, e o hospital nos Estados Unidos é um dos mais indicados no mundo para o procedimento que pode garantir a cura.

A cirurgia até poderia ser realizada no Brasil, que conta com tecnologia e profissionais capacitados. Mas, entre outros problemas, o País não dispõe de órgãos suficientes e a fila de espera é extensa. Nos Estados Unidos, a expectativa é de que Davi Miguel ache o órgão compatível e seja operado nos próximos meses.

História. Davi, de um ano, estava no Hospital Samaritano, na região central de São Paulo, antes de ser transferido em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Aérea para o Jackson Memorial Hospital, em Miami. Ele se alimenta por sonda e sofre da chamada doença da inclusão das microvilosidades intestinais, também conhecida como "diarreia intratável".

A mãe Dinea Gama acompanha o filho, enquanto o pai viaja no próximo mês. "A maior dificuldade no momento está sendo o inglês, mas Deus vai encaminhando", contou nesta quarta-feira, 29.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.