Decretada prisão de acusado de estuprar menina grávida

A menina de 11 anos está grávida de 7 meses depois de ter sido estuprada pelo padrasto diversas vezes

Elder Ogliari, de O Estado de S. Paulo,

06 Março 2009 | 18h29

A Justiça de Iraí, no noroeste do Rio Grande do Sul, decretou a prisão preventiva de um pedreiro de 51 anos, acusado pelo Ministério Público de ter estuprado uma enteada de 11 anos que está grávida de sete meses. A polícia fez buscas, mas não conseguiu cumprir o mandado até o final da tarde desta sexta-feira, 6.   Veja também: Menina de nove anos que fez aborto tem alta no Recife Médicos agiram dentro da lei em caso de aborto, diz Secretaria Jornais do mundo falam sobre caso de excomunhão e aborto Lula critica excomunhão de médicos por aborto em menina  Igreja excomunga envolvidos em aborto de menina estuprada  Equipe médica excomungada diz que não está arrependida  Entenda o que dizem o Direito Canônico e o Código Penal  Opine: qual ética o médico deve seguir nestes casos?   O caso foi levado pelo Conselho Tutelar à promotoria e à polícia em dezembro. Durante a investigação, a garota chegou a dizer que o pai do filho que está em gestação seria um colega de escola, mas depois revelou ter mantido relações sexuais com o padrasto. Em depoimento anexado ao inquérito na quarta-feira, o pedreiro admitiu o ato.   Ao final do inquérito policial, o promotor de Justiça Adriano Luís de Araújo decidiu denunciar o homem pelo crime de "estupro contra menor de 14 anos praticado pelo padrasto". A Justiça abriu o processo. Se o acusado for condenado, pode pegar de nove a 15 anos de prisão.   Segundo Araújo, a criança está sob acompanhamento e atenção integral do Ministério Público desde o início do caso. Ela está internada num hospital de Tenente Portela equipado para o atendimento de gestações de risco moderado, como é o caso. A família não cogitou da hipótese do aborto e o Ministério Público não recebeu indicação médica ou psicológica que recomendasse gestões pela interrupção da gravidez.   A garota é filha biológica de uma sobrinha de sua madrasta, que assumiu a responsabilidade de criá-la, junto com seu companheiro, quando ela tinha seis meses de idade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.