Governo do Estado de SP/Divulgação
Governo do Estado de SP/Divulgação

Decreto de SP vai recomendar o uso de máscaras em todo o Estado

A informação foi divulgada pelo governador João Doria (PSDB) em entrevista coletiva. Taxa de isolamento ficou em 48%, de acordo com o governo, e número 'acendeu sinal de alerta'. Doria disse que reabertura após a quarentena depende disso

Bruno Ribeiro, João Ker e Paloma Cotes, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2020 | 12h51

SÃO PAULO - O governador João Doria (PSDB) afirmou que um decreto será publicado nesta sexta-feira, 24, no Diário Oficial recomendando o uso de máscaras em todos os municípios paulistas como forma de prevenir o novo coronavírus. A recomendação já foi feita pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) na capital. 

"Assim como na capital, outros prefeitos já tinham feito essa recomendação. Agora, vamos estender isso para os 645 municípios. É importante que essa recomendação seja seguida pelas pessoas que, em caso de extrema necessidade, precisem dair de casa. São Paulo segue assim orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS)", afirmou Doria. 

Doria afirmou que, por enquanto, a medida é uma recomendação, mas não descartou que possa a ter uma obrigatoriedade no futuro.  O governador avaliou que "uma parte majoritária da população está usando máscaras, inclusive máscaras 'domésticas'. Se necessário for, tornaremos (o uso) obrigatório", disse. 

O entendimento do governo é o mesmo do da Prefeitura de São Paulo: tornar o material obrigatório agora poderia colocar em risco o fornecimento de máscaras para os profissionais de áreas essencias que precisam do equipamento.

No caso da cidade de São Paulo, antes da crise, os órgãos de saúde consumiam cerca de 350 mil máscaras de proteção por mês. Atualmente, esse consumo é de cerda de 2,2 milhões. 

Taxa de isolamento social no Estado cai para 48%

Nesta quarta-feira, 22, taxa de isolamento no Estado foi de 48%. Doria afirmou que isso acendeu um "sinal amarelo"."Isso é grave. Não podemos baixar de 50%", afirmou. A taxa considerada ideal pelo governo paulista é de 70%, para evitar um colapso do sistema de saúde. Doria chegou a condicionar o chamado Plano São Paulo, o processo de abertura econômica do Estado previsto para começar a partir do dia 11 de maio, ao aumento desse índice.

Doria disse que municípios com taxas altas poderão ter as demandas atendidas, mas, os com números baixos, podem não ser beneficiados. "Caso a taxa de isolamento permaneça abaixo de 50%, a flexibilização da quarentena poderá ser revista. Não poderemos fazer flexibilização se não tivermos um índice mínimo de pessoas em casa", afirmou.  

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, São Paulo tem 1.134 mortes pelo novo coronavírus e 15.914 casos confirmados.  1.323 pacientes estão internados em UTI. Ainda segundo o governo, a taxa de ocupação das UTIs é de 55% no Estado e 74% na capital.  

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.