Deputados franceses apóiam lei contra incitação à anorexia

Aprovação se deu após representantes da moda e publicidade assinarem um código de boa conduta voluntário

Efe

15 Abril 2008 | 17h18

Uma proposta de lei que transforma a incitação à anorexia em um crime punível com prisão recebeu nesta terça-feira, 15, o sinal verde da Câmara de Deputados da França. O texto, dirigido em particular contra os sites que encorajam a "magreza excessiva", foi adotado logo após representantes do mundo da moda, da publicidade e da comunicação, além do Ministério da Saúde, assinarem um código de boa conduta voluntário para combater a anorexia. Calcula-se que esta doença atinja entre 30 e 40 mil pessoas na França. O fato de "provocar" uma pessoa a buscar "a magreza excessiva", "encorajando restrições alimentares prolongadas cujo efeito a expõe a um perigo de morte ou compromete diretamente sua saúde", é punível com uma pena máxima de dois anos de prisão e uma multa de 30 mil euros, diz a proposta de lei. Caso a incitação à anorexia leve à morte então a punição será aumentada para três anos de prisão e 45 mil euros de multa, indica o texto, que agora deverá passar pelo Senado. A ministra da Saúde, Roselyne Bachelot, expressou seu apoio à proposta de lei, ao discursar na abertura do exame do texto, e atacou os sites pró-anorexia voltados para jovens e que divulgam "mensagens de morte".

Mais conteúdo sobre:
anorexiaFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.